Paladar

Avelar Jr – Coluna 08: Cervejeiros acidentais

Avelar Jr – Coluna 08: Cervejeiros acidentais

05 dezembro 2014 | 16:21 por Raphael Rodrigues

FOTOS: Avelar Jr/Arquivo Pessoal

O que um bancário com graduação em História Americana, um consultor de negócios e um correspondente internacional têm em comum?
Foi para ouvir estas e outras histórias que, em uma agradável noite de outono, eu fui até a cervejaria Harpoon, em Boston.

Ficou com água na boca?

O encontro fez parte do Brooklyn Mash, que são eventos patrocinados pela cervejaria nova-iorquina Brooklyn Brewery. Nestes eventos, Steve, um dos co-fundadores da cervejaria, encontra cervejeiros locais e divulga seu novo livro: The Craft Beer Revolution: How a Band of Microbrewers is Transforming The World’s Favorite Drink. Hindy já percorreu algumas cidades dos Estados Unidos e Europa e eu fui conferir o encontro em Boston.

O evento foi no excelente Beer Hall da cervejaria Harpoon. Estavam presentes, além do Steve, da Brooklyn Brewery, Jim Koch da Samuel Adams, Dan Kenary da Harpoon, Dann Paquette da Pretty Things e Will Meyers da Cambridge Brewing Company. O debate foi moderado por Daniel Bradford, da revista All About Beer. Na plateia, além dos apreciadores de cervejas artesanais, estavam também profissionais do ramo como Jason Alström e Andy Crouch, respectivamente, editor e colunista do site/revista BeerAdvocate.

Jim Koch dispensa maiores apresentações. Este senhor, que já foi instrutor de montanhismo e consultor de negócios, é um dos pioneiros no segmento de cervejas artesanais americanas, fundou a Samuel Adams em 1984. Muitos nem gostam de chamar de artesanal uma cervejaria que produz 2,5 milhões de barris por ano e fatura quase US$800 milhões, mas se compararmos com o faturamento da ABInbev (US$43 bilhões) e até mesmo da Ambev (US$14,7 bilhões) os números da Samuel Adams viram poeira. Apesar de ser a maior cervejaria artesanal americana eles tem apenas 1% de participação no mercado de cervejas nos Estados Unidos.

Avelar e Jim Koch

Steve era jornalista e foi correspondente internacional na Arábia Saudita durante seis anos. Como diz o velho ditado: “o sapo pula por necessidade”. Hindy aprendeu a fazer cerveja caseira com alguns diplomatas justamente pela dificuldade de comprar o produto no Oriente Médio. Depois de passar por algumas situações turbulentas, para dizer o mínimo, ele resolveu voltar para Nova York e fundou a Brooklyn Brewery, com o amigo Tom Potter, em 1987.

Avelar e Steve

Dan Kenary, formou-se em História Americana em Harvard e estava trabalhando em um grande banco em Chicago. Depois de algumas viagens (regadas a muita cerveja) pela Europa ele decidiu largar a promissora carreira no mundo financeiro para entrar em um mercado ainda mais promissor, o das cervejas artesanais. Fundou, com o amigo Rich Doyle, a Harpoon Brewery em Boston, em 1986.

Will Meyers e Dann Paquette são os mais novos do grupo e os únicos que sempre trabalharam na área. Will Meyers é o mestre cervejeiro da Cambridge Brewing Company, um excelente Brewpub, na cidade de Cambridge. Eles engarrafam e vendem parte da produção, mas atendem somente o mercado local. Eu escrevi a respeito desta cervejaria no texto Cervejas Medievais.

Dann Paquette é o mestre cervejeiro e fundador da Pretty Things. Dann tem um vasta carreira como cervejeiro, tendo trabalhado em algumas cervejarias na região de Boston e em Londres, terra natal da sua esposa. A Pretty Things Beer and Ale Project é uma cervejaria nova, fundada em 2008, que tem feito enorme sucesso com uma boa linha de cervejas.

Dann Paquette e Avelar Jr

O bate papo foi bem descontraído e regado com as excelentes cervejas da Harpoon. Um grande clima de camaradagem, muito difícil de se ver entre empresas concorrentes. Mas como eles mesmo disseram, este tipo de negócio é “99% asshole free business” (frase que dispensa tradução). Vários assuntos foram abordados, entre eles a importância do frescor na cerveja, questões de preço e tendências do mercado.

Depois do debate tive a oportunidade de conversar com Dan Kenary, da Harpoon, e perguntei sobre a possibilidade de expandir as vendas para o Brasil. Infelizmente ele não vê esta perspectiva no médio prazo. A Harpoon quer explorar mais o mercado americano, atualmente ocupam a 12? posição entre as cervejarias artesanais. No entanto Dan se mostrou interessado pelo Brasil, fugindo do velho estereótipo do americano que não sabe o que acontece além de suas fronteiras, (principalmente ao sul da linha do Equador), ele me perguntou sobre as eleições no Brasil. Disse ter simpatia pela candidata Marina Silva. Depois de vários anos, o espírito de estudante de História continua vivo.

Avela Jr e Dan Kenary

Encontrar estes pioneiros, que junto à outros nomes como Ken Grossman (Sierra Nevada) e Jack McAuliffe (New Albion), desbravaram este mercado, é realmente inspirador. A base de tentativa e erro, estes senhores construíram do nada um segmento que atualmente representa 8% do mercado de cerveja nos Estados Unidos e está crescendo ano a ano.
Entre estes vários líderes, uma pessoa que eu realmente admiro neste mercado cervejeiro, pela perspicácia e visão de futuro, se chama Milton Glaser. Glaser é um designer nova-iorquino, famoso por ter criado o logo “I love NY”. Quando decidiu fundar a Brooklyn Brewery, Steven Hyde procurou Glaser, para que ele criasse o logo da empresa. O designer criou o atual logotipo, que é uma letra B estilizada, com referência ao beisebol. Ao ser questionado sobre o quanto ele iria cobrar pelo trabalho, Glaser disse que queria beber cerveja de graça o resto da vida. Desde os anos 80 até hoje, aos 85 anos, Milton Glaser recebe, semanalmente, sua cerveja, sem precisar desembolsar um penny.

Se este texto de alguma maneira te inspirar a abrir uma cervejaria, não se esqueça de me enviar uma mensagem…para que eu possa lhe mandar o meu endereço.

Cheers!
Leia as outras colunas do Avelar Jr.