Paladar

Abaixo a ditadura da Merlot: vinho brasileiro está mais variado, mostra Avaliação Nacional de Vinhos

Blog da Belle

Notícias do mundo do vinho

Abaixo a ditadura da Merlot: vinho brasileiro está mais variado, mostra Avaliação Nacional de Vinhos

Entre as 16 amostras mais representativas da safra de 2017, estão variedades como Cabernet Franc, Petit Syrah e até Malbec

26 setembro 2017 | 18:14 por Isabelle Moreira Lima

A diversidade de castas é a palavra de ordem da safra brasileira 2017, segundo atestou a Avaliação Nacional de Vinho, que neste ano chega a sua 25ª edição. Realizada no último fim de semana em Bento Gonçalves (RS) pela Associação Brasileira de Enologia (ABE), o evento tem como objetivo listar os vinhos mais representativos da safra brasileira de cada ano. Por fim, são divulgados os três vinhos base para espumante, cinco brancos e oito tintos que mostram a cara da produção de 2017.

Degustadores da Avaliação Nacional de Vinhos neste fim de semana em Bento Gonçalves. (Foto: Jeferson Soldi)

“Entre as 16 amostras se destacam quatro variedades brancas (Riesling Itálico, Chardonnay, Sauvignon Blanc e Moscato Giallo) e seis tintas (Cabernet Franc, Petit Syrah, Merlot, Malbec, Cabernet Sauvignon e Tannat). Este resultado segue a tendência dos últimos anos, mostrando potencialidades cultivadas no Brasil, que são muitas, dependendo da região produtora”, diz o presidente da ABE, Edegar Scortegagna.

Ficou com água na boca?

Segundo ele, a avaliação também concluiu que “tamanho não é documento” e que  o porte da vinícola não é determinante para a qualidade de um vinho. “A maioria das vinícolas existentes no Brasil são de pequeno porte e grande parte delas conseguiu se estruturar com a mesma tecnologia das grandes vinícolas. Tanto é que o resultado destaca vinhos de grandes, médias e pequenas vinícolas”, afirma.

No total, 327 amostras de 59 vinícolas foram provadas por 118 enólogos.

Veja abaixo os vinhos considerados mais representativos da safra 2017.

Categoria Vinho Base para Espumante
Chardonnay/Riesling Itálico – Chandon (Garibaldi – RS)
Chardonnay – Casa Valduga (Bento Gonçalves – RS)
Chardonnay – Domno do Brasil (Garibaldi – RS)

Categoria Branco Fino Seco Não Aromático
Riesling Itálico – Cooperativa Vinícola Aurora (Bento Gonçalves – RS)
Chardonnay – Vinícola Almadén (Santana do Livramento – RS)
Chardonnay – Vinícola Cave de Pedra (Bento Gonçalves – RS)

Categoria Branco Fino Seco Aromático
Sauvignon Blanc – Vinícola Fazenda Santa Rita (Vacaria – RS)
Moscato Giallo – Cooperativa Vinícola São João (Farroupilha – RS)

Categoria Tinto Fino Seco Jovem
Cabernet Franc – Vinícola Salton (Bento Gonçalves – RS)

Categoria Tinto Fino Seco
Petit Syrah – Luiz Argentina Vinhos Finos (Flores da Cunha – RS)
Merlot – Casa Perini (Farroupilha – RS)
Merlot – Miolo Wine Group (Bento Gonçalves – RS)
Cabernet Franc – Giacomin Indústria de Bebidas (Flores da Cunha – RS)
Malbec – Vinícola Almaúnica (Bento Gonçalves – RS)
Cabernet Sauvignon – Guatambu Estância do Vinho (Dom Pedrito – RS)
Tannat – Don Guerino Vinhos e Espumantes (Alto Feliz – RS)

NÚMEROS DA 24ª AVALIAÇÃO NACIONAL DE VINHOS – SAFRA 2017

– Participantes: 850 apreciadores de sete países (Argentina, Brasil, Canadá, Chile, Itália, Japão e Uruguai). Do Brasil, compareceram enófilos de 10 estados ((Bahia, Ceará, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo), além do Distrito Federal.
– Painel de comentaristas: 15 convidados de quatro países Argentina, Brasil, Itália e Japão) e um apreciador sorteado entre o público (Odila Armbruster de Moraes –SBAV-SP).
– Serviço do vinho: 105 alunos dos cursos de Viticultura e Enologia do IFRS – Campus Bento, IFSC – Campus Urupema e Unipampa.
– Amostras degustadas: 16
– Garrafas servidas: 1.440 (90 de cada)
– Em 25 edições, 16.317 apreciadores e 5.849 amostras.

Tags: