Paladar

Blog da Patrícia

S.O.S. Cozinha

O melhor jeito de picar salsinha

Desta vez, comparei utensílios destinados à mesma função: picar salsinha. Comparei quatro métodos avaliando rapidez e resultado (deixei de lado a faca), usei tesoura, tesoura de cinco lâminas, meia-lua e miniprocessador

12 junho 2017 | 16:40 por Patrícia Ferraz

Picar salsinha bem miudinha, com a faca, pode ser uma terapia desde que você tenha paciência e saiba manejar a lâmina, sem perder o corte. Você fica ali horas, batendo as folhas e pensando na vida. É relaxante…


FOTOS: Patrícia Ferraz/Estadão

Só que existem métodos mais rápidos e resolvi testar alguns deles. Seja qual for o método escolhido, vale a dica: pique a salsinha primeiro, lave e seque (bem) depois e guarde na geladeira em pote fechado. Assim ela fica sequinha e dura pelo menos uma semana na geladeira.

Ficou com água na boca?

Comparei quatro métodos: tesoura com cinco lâminas, tesoura comum, meia-lua e miniprocessador

Comecei por uma tesoura de cinco lâminas, especialmente desenvolvida para cortar salsinha, coentro, cebolinha e ervas aromáticas. Sempre tive vontade de comprar…

Como dá pra ver na foto, ela só serve para cortar grosseiramente — e cá entre nós, são raras as receitas que pedem salsinha grosseiramente picada.

A tesoura de cinco lâminas cortou quase igual à tesoura comum. Em nenhum dos casos, dá para fazer “salsinha areia”, aquela fininha que quase parece em pó.

A meia-lua funciona muito bem. Se estiver afiada, agiliza o corte e rapidamente dá para deixar a salsinha bem miúda. É meu método favorito para quantidade média de salsinha – não vai bem para picar apenas algumas folhas, como sálvia e manjericão, e nem grande quantidade, o que requer fazer o trabalho em lotes e aí fica mais demorado.

Para quantidades maiores, nada de romantismo: o melhor método o é miniprocessador. Desde que comecei a picar toda salsinha de uma vez, no processador, parei de desperdiçar. Se deixar para picar aos poucos, ela estraga, murcha rápido mesmo em saquinho na geladeira e protegida por papel-toalha. Faço o seguinte: ponho no processador as folhas de salsinha (bem secas) do maço inteiro e pico bem. Fácil, rápido e eficiente.

 

Mas e aí, o que é que você faz com o maço todo de salsinha picada?

1. Ponha num pano de cozinha limpo, daquele tipo perfex (a água da salsinha mancha). Faça uma trouxinha e feche bem.

2. Ponha a trouxinha debaixo da torneira e lave em água corrente apertando para sair aquela água verde.

3. Tire da água, aperte várias vezes para tirar o excesso de água e pendure a trouxinha por alguns minutos, esperando secar.

4. Abra a trouxinha, transfira a salsinha pra outro pano limpo e seco, para acabar de secar. Ponha num pote plástico com fecho hermético, ou se preferir, num saquinho plástico com fecho hermético e guarde na geladeira. A salsinha dura uma semana fácil, bem sequinha.

 

Vale a compra?

Quer saber? Você não precisa de uma tesoura de muitas lâminas (A minha vai ficar lá, mofando…junto com o quebrador de ovos; o lado bom da história é que poupei você do prejuízo).

Se quiser investir num utensílio, compre uma boa meia-lua, que serve para picar várias ervas e pode ser afiada como uma faca comum. Existem vários modelos de diferentes preços, mas não adianta comprar uma lâmina ruim. Também vale adquirir um miniprocessador (o grande não é bom para isso).

Ah, e aproveite a salsinha recém-picada para fazer este clássico espaguete ao alho e óleo

FOTO: Tiago Queiroz/Estadão

Tags: