Paladar

1795 Dark: fique no lado “claro” da Força

06 julho 2009 | 13:15 por Roberto Fonseca

Ficha 1795 Dark

Depois de um período de “seca” grande, há uma boa quantidade de cervejas vindas da República Tcheca no mercado brasileiro. Só para citar algumas marcas, Pilsner Urquell (atualmente caríssima), Starobrno, Czechvar (ou Budvar pelas bandas de lá), Primetor e a 1795. Esta última é produzida na cidade tcheca de Budweis, mas, felizmente, não tem relação com aquela “Bud” que você pode estar pensando.

Embora a 1795 do estilo pilsen me agrade (não tem lá aqueeeeele amargor, mas ele é maior do que o das cervejas nacionais; além disso, a relação custo-benefício é boa), a versão dark lager não “bateu” legal. Como diria Obi-wan Kenobi, “não vá para o lado ‘negro’ da Força” (ou, no caso, da cerveja).

Ficou com água na boca?

Achei a Primator Dark doce demais e com corpo de menos. E isso comparando com outras dark lagers tchecas, como a Primator Dark (mais interessante e seca) e, hors concours, a sensacional cerveja produzida pelo U Fleku, em Praga. Tá, para provar esta última você tem de atravessar o oceano e gastar uns cobres, e o lugar é bem turístico, mas a cerveja realmente está em outro patamar. Pena que só trouxe uma garrafa de lá. Mas um dia eu volto hehehehe…