Paladar

A vez do ‘gêmeo malvado’ da Mikkeller

14 fevereiro 2013 | 14:03 por Roberto Fonseca

Jeppe, o criador da Evil Twin (Foto:Reprodução/http://www.eviltwin.dk)

A escolha do nome da cervejaria Evil Twin não poderia ter sido mais peculiar – e apropriada. Jeppe Jarnit-Bjergsø, criador da marca de origem dinamarquesa, mas hoje produzida em 10 cervejarias ao redor do planeta, é irmão de Mikkel Borg Bjergsø. Que, por acaso, vem a ser o responsável por outro dos nomes mais conhecidos por degustadores quando se fala na nobre bebida: a Mikkeller. As crias de Mikkell nós já conhecemos há alguns meses, trazidas pela Tarantino. As de Jeppe  chegam em abril, por meio da Beer Legends, em cinco versões.

No primeiro lote, a importadora trará a saison Ron & the Beast Ryan (7% de teor alcoólico); a The Cowboy (5,5%), classificada como smoked pilsner; a Femme Fatale (nas palavras dos produtores, uma IPA fermentada integralmente com brettanomyces, provavelmente a mais exótica do grupo); a Low Life Pilsner (5,5%, cujo nome dispensa outras explicações) e a american pale ale Hipster Ale (5,5%). Esta última será a única a vir em lata.

As receitas que chegam em abril foram produzidas na cervejaria norte-americana Westbrook. Segundo a importadora, outros rótulos devem ser trazidos de acordo com a disponibilidade. Um deles, citado na enquete Melhores de 2012 do blog, é o Imperial Biscotti Break.

A Beer Legends informou que venderá as garrafas a R$ 20 e a lata, a R$ 9.

Em tempo: a Evil Twin foi apontada pelo site de avaliações cervejeiras Ratebeer.com como a décima melhor cervejaria do mundo, em ranking divulgado no começo do mês. É, também, a mais bem posicionada entre as europeias. Curiosidade: ela ficou logo abaixo da Stone, cujo fundador, Greg Koch, está em visita ao Brasil. A Mikkeller, por sua vez, ficou com a 28ª colocação.