Paladar

Cervejas feitas a várias mãos

06 setembro 2012 | 14:23 por Roberto Fonseca

(Coluna publicada na edição de 6/9/2012 no caderno Paladar)

Ficou com água na boca?

Cervejeiros mundo afora estão levando a sério a aplicação do ditado “duas cabeças pensam melhor do que uma” na hora de criar suas receitas. E já há diversas cervejas colaborativas disponíveis por aqui.

A Boogoop, da marca dinamarquesa Mikkeller desembarcou nesta semana, num lote de 27 rótulos. Foi feita na Bélgica, em parceria com a americana 3 Floyds. A Mikkeller não tem fábrica, usa cervejarias de outros para produzir suas receitas, por isso foi apelidada de “cervejaria cigana”.

Além das cervejas ao lado, há outras receitas colaborativas no mercado brasileiro. Três são da cervejaria escocesa Brewdog, todas com produtores americanos: a Lost Dog, com a Lost Abbey, a Bashah, com a Stone, e a Bitch Please, com a 3 Floyds.

Entre as brasileiras colaborativas, surgiu a Way 8 Secrets, double american pale ale criada pela marca paranaense com outros produtores, como a Bodebrown e a Wäls. O mesmo grupo – em parceria com a Colorado – produziu na Das Bier (SC) a Stark Bier, uma strong scotch ale.

Recentemente, quatro produtores gaúchos – Anner, Baldhead, Lagom e Seasons – criaram a Pampeana, para celebrar os dois anos do Lagom, um Brewpub em Porto Alegre. É uma belgian dark strong ale de 8,2% de teor alcoólico, que leva na receita carqueja, guaco, quassia amara e anis estrela. Os aromas herbais e de anis aparecem quando a cerveja se aproxima da temperatura ambiente.

Tags: