Paladar

Concurso Mestre-cervejeiro: os finalistas, parte 3

02 abril 2010 | 17:00 por Roberto Fonseca
Daniel e a namorada Helena em plena brassagem. Arquivo pessoal

Daniel e a namorada Helena em plena brassagem. Arquivo pessoal

Daniel Ropelato entrou no concurso da Eisenbahn junto com o irmão Diogo. Cada um se inspirou em uma dubbel: Daniel, na Leffe Brune, e Diogo, na Achel. O primeiro acabou levando a melhor e ficou entre os seis finalistas. Confira:

1) Quando começou a se interessar por cerveja?
Apesar de morar na cidade de Gaspar, passei a maior parte do tempo estudando em Blumenau e frequentando os bares da cidade. Foi lá que comecei a me interessar pelas cervejas diferentes.

Ficou com água na boca?

2) E quando começou a fazer cerveja?
Faço há apenas seis meses, mas estudo há mais de um ano. Após ver meu empenho, meu pai começou a me ajudar na compra dos equipamentos. Também tenho auxílio do meu irmão e da minha namorada Helena. Divido o pouco tempo em que viajo para casa entre ela e as brassagens.

3) Como foi a produção da cerveja para o concurso?
Bastante difícil, pois consegui tomar apenas a Leffe Brune e a Achel do estilo Dubbel, então acabei me baseando somente nas duas para bolar a receita. Como meu irmão preferiu uma receita semelhante à Achel, decidi trabalhar em uma mais parecida com a Leffe para a minha receita.

4) Qual sua cerveja favorita?
Tenho várias cervejas favoritas, mas me interesso pela escola belga. Gosto de tomar as cervejas artesanais aqui do Brasil, principalmente as nossas regionais.

5) Como foi a escolha do nome da cerveja?

A tradução de Blumenstolz para o português siginifica orgulho das flores e se refere a Blumenau, a cidade jardim.

Tags: