Paladar

Dizem que elas vieram americanizadas…

15 agosto 2011 | 20:09 por Roberto Fonseca

BACKER BRAVO (Brasil, 355ml)

Produtor: Backer, de Minas Gerais

Ficou com água na boca?

Preço sugerido: de R$ 11,90 a R$ 17

Estilo: Imperial Porter – maturada em barris de umburana

Teor alcoólico: 9%

Cor: Castanho escura, brilho rubi, translucidez baixa

Espuma: Bege clara, média formação e média a baixa duração

Aroma: Malte, café, frutas escuras (?), madeira (bastante aromática), leve baunilha (?), chocolate, nota alcoólica perceptível

Sabor: Malte, madeira/aromática, nota alcoólica bastante presente, malte torrado e caramelo, leve chocolate, leve frutado. Final doce, alcoólico e de madeira, leve adstringência do malte torrado; corpo médio a alto, amargor baixo, carbonatação média a baixa.

Nota 4,0 em 5 – O álcool poderia estar um pouco mais “coberto” pelo malte, e isso também poderia balancear um pouco mais as notas de madeira. Mas é uma bela cerveja. A umburana, que confere notas mais complexas, é sentida no aroma e sabor. A carga extra de malte, porém, poderia deixá-la “tímida”. Dúvida cruel…

 

BACKER EXTERMINADOR DE TRIGO (Brasil, 355ml)

Preço sugerido: de R$ 11,90 a R$ 17

Estilo: American Wheat com capim limão

Teor alcoólico: 4,8%

Cor: Amarelo clara, leitosa pela presença de fermento, translucidez muito baixa

Espuma: Branca, média formação e duração

Aroma: Malte, biscoito, cítrico forte, herbal

Sabor: Malte, cítrico, adocicado, algo de tutti fruti, doçura inicial seguida de final seco e cítrico forte. Corpo médio a baixo, amargor médio para o estilo, carbonatação média a alta.

Nota 4,0 em 5Boa cerveja, deve agradar fãs de witbiers, bastante cítrica, refrescante  e com amargor interessante. 

 

BACKER PELE VERMELHA (Brasil, 355ml)

Preço sugerido: R$ 11,90 a R$ 17

Estilo: India Pale Ale com raspas de laranja

Teor alcoólico: 7%

Cor: Castanho avermelhada, translucidez média a baixa

Espuma: Bege clara, média formação e média a alta duração

Aroma: Malte, caramelo, lúpulo/cítrico, açúcar queimado, nota alcoólica perceptível

Sabor: Malte destacado, caramelo, lúpulo, cítrico suave, leve picante, nota alcoólica perceptível mas moderada; final seco e adocicado, de leve tostado e alcoólico. Amargor médio, corpo médio a alto, carbonatação idem.

Nota 3,2 em 5 – Boa a ideia da casca de laranja para combinar com o cítrico da IPA de influência americana, mas ingrediente poderia estar mais em destaque. Malte predomina na boca sem força equivalente do cítrico da laranja ou do lúpulo.  

EM TEMPO: versão degustada no evento de apresentação de 15/8 no Empório Sagarana tinha um pouco mais de lúpulo no aroma e sabor, o que indica variações possíveis dentro de lotes e datas diferentes.

 

BACKER TRÊS LOBOS (Brasil, 355ml)

Preço sugerido: R$ 11,90 a R$ 15,90

Estilo: American Pilsner com açúcar mascavo

Teor alcoólico: 5%

Cor: Dourado escura, translucidez média a alta

Espuma: Branca, média a alta formação e duração

Aroma: Malte, biscoito, leve lúpulo (cítrico?)

Sabor: Malte, adocicado, nota sutil de oxidação metálica, final seco e levemente adocicado, lúpulo suave, com nota alcoólica perceptível mas moderada. Corpo médio, amargor médio a alto para o estilo, carbonatação média a alta.

Nota 3,2 em 5 – Bom amargor e final seco, mas faltou nota mais destacada de lúpulo no aroma e no sabor, seja em notas herbais ou cítricas. Falta um pouco mais da complexidade e ousadia dos outros produtos da linha . 

_______________________________________________

Historicamente associada à escola europeia, a produção de cerveja no Brasil tem dado uma “guinada” para o estilo americano. Um dos exemplos mais recentes vem da mineira Backer , que começa a vender esta semana em São Paulo sua linha “extrema”, com quatro estilos inspirados no que está sendo feito na terra do Tio Sam.

Diretora de marketing da cervejaria, Paula Lebbos diz que a ideia das receitas surgiu após viagens dos sócios da Backer aos EUA. “Acabamos nos apaixonando pelo jeito americano de fabricar cerveja. São produtores e consumidores fascinados pelo aroma e paladar do lúpulo. ” Foi escalado para colocar o conceito no copo o mestre-cervejeiro Paulo Schiaveto, que já havia elaborado para a marca a belgian ale Medieval. Segundo ele, nas receitas da nova linha foram utilizados tanto lúpulos quanto fermento norte-americanos.

O uso de barris de madeira para acondicionar a cerveja, tendência já estabelecida nos Estados Unidos que vem aparecendo aos poucos nas produções comerciais brasileiras, também tem seu espaço na linha com a Bravo, imperial porter maturada por 60 dias em umburana. Duas receitas ainda seguem a tendência iniciada pela Colorado, de Ribeirão Preto, com uso de ingredientes nacionais, como o capim-limão, na Exterminador de Trigo, e cascas de laranja, na Pele Vermelha. Esta última ganhou em maio medalha de bronze na South Beer Cup, na Argentina, uma espécie de “Libertadores da América” das cervejas.

Déjà vu?
Fãs de cervejas notaram curiosidade nos rótulos da nova linha: para muitos, eles trazem à mente os que embalam garrafas da norte-americana Flying Dog, criados por Ralph Steadman. A marca foi vendida por aqui, mas teve importação suspensa.

Paula diz que a inspiração nos EUA se estendeu aos rótulos da Backer , baseados no “faroeste americano”. “Há a irreverência dos cowboys, o crocodilo, o índio, paisagem desértica e coiotes que se transformam em lobo. Uma nostalgia muito significante para nós (sócios da cervejaria), ex-donos de casa noturna que também se chamava Três Lobos.”

Tags: