Paladar

Melhores de 2011, parte 15: Luís Celso Jr.

11 janeiro 2012 | 22:03 por Roberto Fonseca

Luís Celso Jr. (Foto: Arquivo pessoal)

Veja os votos de Luís Celso Jr., da coluna Bar do Celso, do jornal Gazeta do Povo (PR):

Melhor lager nacional
Considerando apenas as novidades de 2011, a Bamberg Camila, Camila foi uma cerveja que me surpreendeu. Não pela qualidade da cervejaria, que já é esperada, mas pela complexidade.

Melhor ale nacional
Dizem que há duas formas de medir o que é melhor: pelo caráter excepcional ou pelo quanto nos aproximamos dessas coisas – já que, no fim das contas, queremos o melhor para a gente. Nesse aspecto, a Way Beer American Pale Ale é minha eleita. Virou quase feijão com arroz para mim. Pint obrigatório a cada ida ao bar. Lupulada na medida certa, sem exageros, mantendo ótimo drinkability e frescor.

Melhor lager importada para o Brasil
Harviestoun Schiehallion. Ótima e refrescante cerveja. Ainda mais em chope, como degustada no Wikibier Festival, aqui em Curitiba.

Melhor ale importada para o Brasil
Brooklyn Sorachi Ace. Algo diferente do que estamos acostumados por essas bandas, mas com cuidado e equilíbrio em todos os detalhes.

Melhor cerveja caseira
Experimentei ótimas cervejas caseiras no ano que passou. Gostaria de citar várias. Mas a tarefa é árdua e a escolha, necessária. Representando os homebrewers do Brasil, que são o “laboratório” da cerveja nacional, serei regionalista mais uma vez e ficarei com a Petroleum, da Dum Cervejaria. Uma das ótimas produções aqui do Paraná, do tipo que você faz questão de degustar novamente, novamente, novamente…

Melhor cerveja de 2011 (aqui ou lá fora)
O mercado brasileiro cresceu tanto em quantidade como em qualidade. Por isso, nada mais justo do que um produto nacional ocupar esse espaço nobre da lista. Escolho uma que não falta na minha geladeira: a Bodebrown Wee Heavy, medalha de ouro no Mondial de la Bière. Qualidade e ineditismo, com equilíbrio.

Novidade do ano
O número crescente de eventos cervejeiros é algo que agrada. Acho que, apesar de pequenas correções necessárias, essas festas são ótimas para fomentar o mercado, pois mostram toda a variedade de cervejas para o público geral. Além, claro, de expor os produtos e serviços de quem está no setor, gerar negócios, parcerias e, claro, amizades.

Melhor fato cervejeiro
A premiação de diversas cervejas nacionais, caseiras ou não, aqui e lá fora, só vem atestar a ótima qualidade da produção nacional, sua diversidade e criatividade. E dificulta muito na hora de elaborar essas listas. Rs…

Pior fato cervejeiro
A desunião. Não há nada tão prejudicial para um grupo que está se constituindo e crescendo do que a divisão por brigas ou rixas. Não que tudo deva ser perfeito, ou que deva existir um grupo único, mas respeito pela diversidade de opiniões, posturas, produções e ideias deve ser algo básico para um futuro mais próspero.

Tags: