Paladar

Melhores de 2011, parte 24: Fabian Ponzi

16 janeiro 2012 | 12:46 por Roberto Fonseca

Fabian Ponzi (Foto: Arquivo pessoal)

Veja os votos de Fabian Ponzi, dono do blog Bebendo Bem, de Porto Alegre (RS):

Melhor lager nacional
Eisenbahn Oktoberfest. Adoro o estilo e a Eisenbahn manteve a qualidade dos anos anteriores na versão 2011. Bem que a cervejaria poderia fabricá-la o ano todo…

Ficou com água na boca?

Melhor ale nacional
Seasons Green Cow IPA. Certamente é a cerveja que mais tomei nesse ano e ainda me surpreendo com a sua qualidade, equilíbrio e drinkability. É impressionante uma cerveja tão intensa ser tão agradável para se tomar aos litros.

Melhor lager importada para o Brasil
Harviestoun Schieallion. Já era fã dessa cerveja quando a provei em garrafa. Na pressão ela consegue ser ainda mais aromática e mais refrescante.

Melhor ale importada para o Brasil
Essa é bem difícil, mas fico com a cerveja que, pessoalmente, me marcou muito, a Rodenbach. Não é a toa que o Michael Jackson gostava tanto dela.

Melhor cerveja caseira
Injustiça ficar só com uma, mas como é a regra, fico com a Maldonado’s Beer Dama da Noite. A vencedora do Concurso Nacional (da Acerva) em Florianópolis é, sem dúvida, a melhor barley wine que já tomei na vida. Parabéns ao homebrewer Fabio Laux, criador dessa belezura!

Melhor cerveja de 2011, aqui ou lá fora
Quem participou da degustação da Brewers Association que rolou em Porto Alegre não consegue esquecer a Labyrinth Black Ale, uma imperial stout que honra o estilo. Sua complexidade é absurda, bem como o seu equilíbrio, que esconde muito bem os traiçoeiros 13,2% de teor alcoólico.

Novidade do ano
Ainda não é uma consolidação, mas a união vista entre todos os peões do tabuleiro cervejeiro nacional em torno da mobilização para a inclusão das microcervejarias no Simples Nacional é uma fagulha para o que pode vir a ser a criação de uma entidade representativa do setor, que englobe não só as empresas, mas todos os que se envolvem e militam em favor de melhores condições de mercado. Tomara que isso vire realidade em 2012.

Melhor fato cervejeiro
A iniciativa da #cervejadeverdade, que tomou de assalto as redes sociais em maio e abriu os olhos de muita gente que só conhecia as cervejas comuns. A ação também mostrou a força dos blogueiros brasileiros de cerveja, força essa nem sempre bem utilizada pelas empresas do setor. É inacreditável que ainda tenha gente que se refira a “blogueiro de cerveja” pejorativamente. É claro que existem os bons e os maus blogueiros – assim como existem as boas e as más cervejas – mas hoje os mais representativos têm feito um trabalho incansável e de muita qualidade em prol da divulgação da cerveja brasileira.

Pior fato cervejeiro
O preço absurdo de algumas cervejas nacionais. É inadmissível que, atualmente, com tantas cervejas importadas de qualidade indiscutível chegando a preços acessíveis, as brasileiras ainda consigam ser mais caras que as similares lá de fora. Pra se ter uma ideia, a cerveja mais cara vendida no Brasil hoje em dia é brasileira! Não se cria um mercado forte sem preço competitivo. Depois quando dizem que “a cerveja é o novo vinho”, montam nas tamancas. Não tem como sustentar o princípio do “support your local beer” se você consegue encontrar cervejas importadas melhores e mais baratas que as daqui.

Tags: