Paladar

Melhores de 2011, parte 53: Humberto Mendes

30 janeiro 2012 | 22:00 por Roberto Fonseca

Humberto Ribeiro Mendes Neto e Aline, "primeira dama" da Jambreiro

Veja os votos de Humberto Ribeiro Mendes Neto, cervejeiro da Jambreiro e presidente da Associação dos Cervejeiros Artesanais de Minas Gerais (Acerva Mineira), em Nova Lima (MG):

Melhor lager nacional
Bohemian Pilsen da Wäls. Essa excelente representante do estilo possui uma composição de lúpulos fantástica, tornando-a muito fácil de beber, equilibrada e muito refrescante.

Melhor ale nacional
Impossível responder esta pergunta. Vou considerar que estou elegendo a melhor ale nacional que eu conheci em 2011: Green Cow IPA da Seasons. Essa cerveja está criando muitos lúpulomaníacos no Brasil.

Melhor lager importada para o Brasil
Boston Lager da Samuel Adams. Essa cerveja tem tudo para se tornar a porta de entrada para o universo cervejeiro de muitos que ainda estão vivendo na matrix cervejeira.

Melhor ale importada para o Brasil
Rodenbach Grand Cru. Espero que ela possa inspirar cervejarias e cervejeiros a produzir versões nacionais desse estilo ainda pouco conhecido por aqui.

Melhor cerveja caseira
Foram várias! O nível técnico dos cervejeiros caseiros está cada vez mais alto e eu acredito que as Acervas têm um papel fundamental em agremiar e permitir a disseminação de conhecimento entre seus associados e por vezes pessoas não associadas. Como tenho de escolher, fico com a Petroleum da DUM, que foi a cerveja que mais me surpreendeu esse ano. Bebi ela no 6º Concurso Nacional de Cervejas Artesanais, em Florianópolis, e depois esquematizei um escambo para trazer essa preciosidade para Minas Gerais para beber com os amigos.

Melhor cerveja de 2011 (aqui ou lá fora)
Vou ampliar essa categoria. Para mim todos os hidroméis feitos pela Smedgård são fantásticos, mas o melomel de jabuticaba Freyja Tears, com 12,4% de teor alcoólico, para mim é uma obra-prima! Parabéns, Daniel Gontijo Draghenvaard!

Novidade do ano
Wäls Brut, apesar de ter bebido ela em 2010, o lançamento oficial aconteceu em 2011. Uma cerveja de complexidade ímpar, tendo todo seu processo de elaboração conduzido na própria cervejaria (eu mesmo já tive a honra de girar garrafas na adega).

Melhor fato cervejeiro
A união dos cervejeiros em busca de interesses comuns, seja alteração de legislação do Simples no âmbito nacional, alteração de leis tributárias nos Estados ou alteração do zoneamento urbano para emissão de alvarás para cervejeiros caseiros. O caminho a ser trilhado ainda é longo, ainda mais considerando o moroso processo de alterações de lei, mas tenho certeza de que será produtivo (e memorável!).

Pior fato cervejeiro
O surgimento de pessoas desonestas interessadas em se aproveitar do movimento cervejeiro para auto-promoção e, nos piores casos, para ganhos financeiros, utilizando-se dos mais sujos recursos como difamação e mentira.

Tags: