Paladar

Melhores de 2011, parte 55: Maltemoiselles

31 janeiro 2012 | 22:00 por Roberto Fonseca

Maltemoiselles; da esq. para a dir., Julia Reis, Letícia Massula, Aline Araújo, Tatiana Damberg, Lara Januário, Faby Zanelati e Ingrid Calderoni (Foto: Arquivo pessoal)

Veja os votos das cervejeiras caseiras/degustadoras  Julia Reis, Letícia Massula, Aline Araújo, Tatiana Damberg, Lara Januário, Faby Zanelati e Ingrid Calderoni, da confraria Maltemoiselles, de São Paulo (SP):

Melhor lager nacional:
Rauchbier da Bamberg, porque gostamos da inspiração de bacon e a receita do Alexandre Bazzo acertou na mão.

Ficou com água na boca?

Melhor ale nacional:
Bodebrown Perigosa. Porque quanto mais IBUs (unidades de medida de amargor na cerveja), melhor!

Melhor Lager importada para o Brasil:
Schlenkerla Rauchbier. Porque bacon é vida.

Melhor Ale importada para o Brasil:
Brewdog Punk IPA. Tem proposta diferente para uma cerveja que mistura características das clássicas IPAs com a riqueza aromática dos lúpulos norte-americanos, deixando aquele frutado/cítrico com final seco que tanto adoramos.

Melhor cerveja caseira:
B’IPA da Sinnatrah. O trabalho que essa escola-cervejaria vem desenvolvendo merece destaque na cena cervejeira brasileira.

Melhor cerveja de 2011:
Ingrid Calderoni: Infinium
Júlia Reis: Sierra Nevada Fritz And Ken’s Ale Imperial Stout
Tatu Damberg: Double Chocolate Stout da Dado Bier
Aline Araújo: Rodenbach Gran Cru
Faby Zanelaty: Bodebrown Hop Weiss
Lara Januário: Wäls Quadruppel
Leticia Massula: Leffe Blonde

(nota do blog: tsc, tsc, tsc, meninas. Poderiam ter se inspirado no exemplo da Female e decidido em apenas um voto – risos. Coisa feia, mas desta vez passa).

Novidade do ano:
Inauguração – e sucesso – de um brew pub nacional com ótimas cervejas: a Cervejaria Nacional

Melhor fato cervejeiro:
Crescimento da atuação das mulheres no ramo cervejeiro!

Pior fato cervejeiro:
A disseminação dos “cervechatos” e “bier-malas”. Brincadeiras à parte, acreditamos que esse universo de cervejas é infinito e ninguém sabe tudo. A falta de humildade de alguns profissionais continua sendo o pior fato cervejeiro.

Tags: