Paladar

Melhores de 2011, parte 6: Paulo Bettiol

05 janeiro 2012 | 21:56 por Roberto Fonseca

Paulo Rogério Bettiol (Foto: Arquivo Pessoal)

Veja os votos de Paulo Rogério Bettiol, consultor da Cervejaria Bierland e dono do site Obiercevando:

Melhor lager nacional
Bierland Vienna, pois a cerveja obteve um ótimo resultado, tanto em reconhecimento quanto em sabor e qualidade. O interessante é que ela é uma lager com boa complexidade de lúpulos, complementada com características equilibradas de malte. O melhor dela é o alto drinkability.

Melhor ale nacional
Bodebrown Wee Heavy, único exemplar do estilo no Brasil e com muita complexidade. As características maltadas desta cerveja são excepcionais, ainda mais com sutis toques defumados. Não foi à toa que ganhou medalha de Ouro no Mondial de la Biére.

Melhor lager importada para o Brasil
Schiehallion da Harviestoun, cerveja muito resfrescante, equilibrada, de bom amargor e com aroma inebriante de lúpulo (Hersbrücker).

Melhor ale importada para o Brasil
Schneider Aventinus Weizen-Eisbock, uma cerveja para se tomar de joelhos, como diria Michael Jackson, cerveja de “sofá”. Notas de frutas escuras, bom corpo, licorosa, malte e lúpulo se misturam no aroma e sabor dela, além do álcool que está magnificamente inserido no conjunto e é percebido discretamente. Típica cerveja que engana: são 12% de teor alcoólico.

Melhor cerveja caseira
Dum Petroleum, cerveja com muita personalidade, longo processo de preparo e bela apresentação. Uma Imperial Stout de muito respeito.

Melhor cerveja de 2011, aqui ou lá fora
Malheur 12. Particularmente, acho uma excelente cerveja, com ameixa, uva passa, boa carga de malte e notas de lúpulo no aroma e paladar, além de 12% de álcool, extremamente (e perigosamente) equilibrado. Ótima cerveja para se degustar à noite, no sossego do lar.

Novidade do ano
O número de eventos relacionados a cerveja. Temos que melhorar em alguns detalhes, porém cada vez mais esse tipo de acontecimento fortalece o mercado. As redes de supermercados de diversos Estados também estão inovando nas gôndolas e apostando muito em cervejas artesanais e importadas, oferecendo ao grande público variedade. Em 2012 tenho certeza que será uma “tendência” cada uma das redes ter sua gôndola de “cervejas especiais” em variadas lojas.

Melhor fato cervejeiro
O número de cervejarias brasileiras ganhando prêmios internacionais. Aumentou o número de cervejarias e aumentou o número de medalhas recebidas nestes concursos. Foram mais de 30 em 2011. O País hoje é visto com outros olhos pelos demais mercados cervejeiros.

Pior fato cervejeiro
Oportunistas demais entrando no mercado. Também há muita desunião das pessoas do setor na hora de brigar por melhores condições. Alguns poucos realmente envolvidos é que estão lá lutando. Mas, como em qualquer mercado, haverá uma seleção natural. A falta de capacitação de muitas pessoas que estão trabalhando no setor é outro ponto que está se tornando crítico. Basta ver textos, avaliações, degustações, rótulos, cervejas, entrevistas, matérias com muita informação “estranha”.

Tags: