Paladar

Melhores de 2012, parte 36: Jorge Gitzler

19 janeiro 2013 | 14:30 por Roberto Fonseca

Foto: Arquivo pessoal

Um dos fundadores da cervejaria não comercial BSG (Boger, Sassen e Gitzler) e diretor da Associação Gaúcha de Microcervejarias (AGM), de Porto Alegre (RS):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Ficou com água na boca?

É difícil, pois tem muita coisa boa no mercado. Mas, para não ficar em branco, escolho as ultimas que tomei e de que gostei muito, que são as Weihnachts da Bamberg e da Eisenbahn, ótimas cervejas. Pena que elas aparecem só com o Papai Noel.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

A Coice da Coruja, uma doppelbock, com 11% álcool que leva canela. Ótima cerveja, ótimo rótulo.

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Firestone Double Jack, que é uma double IPA com 100 IBUS, 4 lúpulos, medalha de ouro no European Beer Star de 2012.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Fuller’s Black Cab. Ótima dry stout, lindo rótulo, tenho tomado muito também a London Pride da Fuller’s.

(nota do blog: como dry stout, a cerveja é uma ale, e não uma lager)

5) MELHOR CHOPE

Coruja Viva, na Toca, em POA.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Lagom Brewpub. O antigo bar (ainda em funcionamento com as 12 torneiras) já causava alegria dos cervejeiros. O novo, com 30 torneiras, sendo a grande parte de fabricação própria, é o sonho de consumo de todo o apreciador de cerveja.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

As IPAs feitas pelo Eduardo Boger.

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Acho que temos prestigiar as cervejas nacionais. A que me agradou muito esse ano, e que tenho consumido bastante, é  a Dado Bier Original, uma ótima bohemian pilsner.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Todos os rótulos da cervejaria americana The Lost Abbey.

10) NOVIDADE DO ANO

A criação dos brewpubs. Aqui em POA temos alguns, como o Lagom, o Hidden, a Cantina do Toco. Conheci também a Cervejaria Nacional em SP. Acho o brewpub a cara do mundo cervejeiro, ele dá personalidade à cerveja, pois é servida a receita feita pelos proprietários. Há uma completa interação entre a cervejaria e consumidor, sem intermediários.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

Depois de 4 anos de brigas, onde participei de reuniões semanais, muita conversa, muitos nãos, muito papo
de político, várias horas de desânimo achando que nunca iríamos conseguir, sem dúvida foi ter conquistado, aqui no RS, a redução do ICMS (para as microcervejarias). Foi no dia 31 de dezembro, não podíamos terminar o ano melhor. Outro fato muito bom, que me surpreendeu, foi a qualidade das cervejas no Festival da Cerveja em Blumenau.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

Acho que essas coisas devemos esquecer, isolar, é melhor não lembrar.

Tags: