Paladar

Melhores de 2012, parte 37: João Gabriel Amstalden

19 janeiro 2013 | 21:30 por Roberto Fonseca

Foto: Arquivo pessoal

João Gabriel Margutti Amstalden, do blog cervejeiro Panela de Malte, de Santo André (SP):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Ficou com água na boca?

Colorado Vixnu na pressão. Poderia citar várias cervejas aqui, mas essa imperial IPA estava muito fresca quando a tomei e mostrou o auge de beleza que esse estilo pode atingir quando a cerveja ainda está “viva” e “nova”.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

Eisenbahn 10 Anos. A cervejaria merecia uma homenagem como essa. Uma das mais importantes micros do Brasil, que ajudou muito na propagação e divulgação da boa cultura cervejeira. Essa doppelbock clara maturada em barris tem personalidade e complexidade únicas, diferenciando-se das demais do estilo.

(nota do blog: a maturação da cerveja é feita com chips de carvalho)

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Anchor Old Folghorn. Essa cervejaria é um ícone do movimento artesanal e merece ser citada. A cerveja é uma fiel representante do estilo american barley wine, que tem as notas de lúpulo um pouco mais acentuadas e um amargor mais perceptível.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Samuel Adams Boston Lager. Pelo preço que se pede nela, é até injusto não citar. Lúpulo floral, amargor agradável, refrescante. Perfeita para o nosso clima. E, mais uma vez, uma cervejaria que merece ser lembrada.

5) MELHOR CHOPE

Cervejaria Nacional Uacari. Inovador, criativo, complexo, fresco e delicioso. Utilizar o caldo de cana foi uma ideia brilhante e talvez possa ser o início de um estilo de cerveja nacional.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Infelizmente, pouco pude frequentar os melhores bares de cerveja de São Paulo em 2012, por isso vou eleger um da minha cidade: O Quinta do Portuga! Um verdadeiro boteco de esquina, que me abasteceu muito bem esse ano com belas Bambergs, Colorados, Samuel Adams, sempre muito bem armazenadas e, principalmente, muito bem servidas com atendimento maravilhoso. Se vier a Santo André, não deixe de visitar e não perca por nada a chance de provar um croquete e a imperdível Batata aos Murros (a de pepperoni harmoniza com Índica, se você for fã de pimenta)!

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

Nunes & Levy Casanova. Essa doppelbock deu o que falar no Concurso Nacional das Acervas, sendo inclusive eleita a Best Of Show. Mas o que realmente impressiona é que a cada época em que a tomei ela estava  diferente, mostrando que cerveja caseira também evolui na garrafa.

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Acho que essa resposta engloba um pouco mais que a cerveja propriamente dita. Cerveja por cerveja, eu iria de Orval novamente, mas acho que conta muito também o momento e a companhia com que ela foi tomada. Por isso, fico com a Rodenbach Classic. Tomei com amigos e, naquela noite, ela mostrou o poder da harmonização, quando melhorou e muito um prato que achamos que poderia estar um pouco salgado.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Destaco o trabalho geral da Way Beer no design de suas garrafas. Muito criativo e chamativo, mas dentre elas fico com a Amburana Lager.

10) NOVIDADE DO ANO

Acho que a chegada das leveduras líquidas. Vai melhorar e muito a qualidade das nossas cervejas e dar muito mais opções aos homebrewers.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

Acho que essa resposta eu tive respondendo a este questionário. Em todas as perguntas até agora, eu acharia muito mais fácil dizer a pior cerveja para cada categoria. Isso mostra o quanto estamos melhorando, as micros nacionais vem progredindo, inovando e melhorando cada vez mais (as medalhas obtidas nos concursos internacionais são prova
disso), as melhores cervejarias do mundo começaram a aportar por aqui. A divulgação nas principais mídias do País está mais contínua, eventos e cursos proliferam, homebrewers agora estão equipados com leveduras líquidas e fazem cervejas cada vez melhores. Enfim, a cerveja boa está no Brasil.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

Com certeza as altas burocracias que ainda envolvem e prejudicam o caminhar da cerveja artesanal no Brasil. Tributação, impostos, politicagem, falta de associações etc. Infelizmente devido a essas coisas, acabamos por valorizar muito as cervejas importadas, já que no fim das contas o preço é quase o mesmo, e, como brasileiro tem aquela velha mania de achar que tudo que vem de fora é melhor, complica. Mas faço coro com os americanos: APÓIE SUA
CERVEJARIA MAIS PRÓXIMA E BEBA LOCALMENTE!

Tags: