Paladar

Melhores de 2012, parte 39: Alexandre Sigolo

20 janeiro 2013 | 14:30 por Roberto Fonseca

Foto: Arquivo pessoal

Alexandre Sigolo, cervejeiro da Nacional, brewpub paulistano, de São Paulo (SP):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Ficou com água na boca?

Wäls Saison 42. Tive a sorte de tomar uma dessas direto do barril no Beer Experience, e foi uma experiência sensacional.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

Eisenbahn 10 anos. Uma cerveja diferente e surpreendente. De repente não é a melhor, mas respeito quem procura fazer algo diferente, e esse é o caso.

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Uerige Doppelsticke. Ganhei uma garrafinha dessa preciosidade. Delícia, uma ultra altbier.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Harviestoun Schiehallion. Não costumo tomar muitas lagers, e essa foi uma grande surpresa, apesar de existir há muito tempo aqui no Brasil, não a tinha tomado. Bela lupulagem, uma cerveja para tomar sem afetação, naquele fim de dia duro.

5) MELHOR CHOPE

Buraco Negro Black Rye IPA. A segunda interpretação de black IPA que fizemos (na Nacional) e ficou sensacional, com uma receptividade do consumidor muito boa. Eu fiquei feliz.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Emporio Sagarana. É perto de casa, é aconchegante e tem uma boa variedade de cervejas, além do clima amistoso de casa da vó.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

Duas me marcaram: uma imperial stout da Confraria do Marquês – sou fã dos caras, imagina a pedrada que veio – e a doppelbock do casal Nunes e Levy, que levou o bi no Concurso Nacional das Acervas.

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Essa é a mais difícil. Vou de Wäls Petroleum! Tomei bastante e coloca a Wäls como uma das cervejarias mais importantes que temos.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Não lembro de um específico, mas esses da Mikkeller fogem do trivial, bem bonitos.

10) NOVIDADE DO ANO

A chegada de vários rótulos importados bacanas por aqui, como a Anchor, de que eu sou fã, e as Mikkellers. Além disso, acho que as cervejarias nacionais estão cada vez mais ousadas e criativas. Temos um longo caminho, mas já demos vários passos.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

A exposição da cultura cervejeira e da cerveja artesanal na grande mídia, com reportagens nas grandes redes, espaço garantido nos grandes jornais e até livros importantes sendo lançados em língua portuguesa. Um grande avanço, sem dúvidas.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

A perseguição desnecessária às cervejas caseiras nos eventos cervejeiros nacionais.

Tags: