Paladar

Melhores de 2012, parte 52: André Junqueira

24 janeiro 2013 | 21:00 por Roberto Fonseca

Foto:Arquivo pessoal

Cervejeiro da Morada Cia. Etílica e ex-presidente da Acerva Paranaense, de Curitiba (PR):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Ficou com água na boca?

Wäls Brut. Essa é tão boa que me inspira a me aventurar no estilo.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

Evitando o auto-jabá, vou ficar com a Way Amburana Lager.

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Pensei em diversas ales complexas e muito boas, mas vou ser sincero: se eu estivesse na frente de uma mega geladeira com todas as opções disponíveis, pegaria primeiro uma Brewdog Punk IPA, nem que fosse pra ir saboreando enquanto escolhia a próxima.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Sou apaixonado pela Schloss Eggenberg Samichlaus, mas não nego nunca uma honesta Brooklyn Lager.

5) MELHOR CHOPE

Que tomei no Brasil foi a Colorado Vixnu. Lá fora foi a Evil Twin Imperial Biscotti Break.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Dos que visitei em 2012, o mais alto nível sem dúvida foi o The Ale House Pub, do Xavier Depuydt. Ambiente agradável, a atendente tinha ótima postura, nos olhava nos olhos, sabia com propriedade sobre todas as cervejas que perguntei (até mesmo a pronúncia correta dos nomes!!!), deu ótimas sugestões e acertou 100% do que pedimos. Os mexilhões estavam ótimos, e confesso que ainda tenho sonhos diurnos com o Vlaams Stoofvlees com Maredsous Dubbel e fritas.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

Ignoru’s Bier Mutum-Cavalo. Uma bela american IPA que levou o concurso paranaense de cerveja feita em casa.

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Parada difícil nessa… Destacaria 3:

a) Three Floyds Arctic Panzer Wolf: uma imperial IPA que tomei acompanhada do melhor cheeseburguer de Chicago no Kuma’s Corner. Ambos redefiniram meus conceitos de imperial IPA e cheeseburger, respectivamente.

b) Mikkeller Beer Geek Brunch Weasel (Cognac Edition): feita com um dos ingredientes mais extravagantes do mundo, essa imperial stout já é maravilhosa na versão original, mas as notas de conhaque ficaram perfeitas na composição e a elevaram a um patamar impressionante.

c) Evil Twin Imperial Biscotti Break: mais uma com DNA dinamarquês, essa foi na pressão no Local Option. Foi tão impressionante que, ao terminar a primeira taça, pedi mais uma pra ter certeza de que não era sonho.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Adoro o trabalho do Randy Mosher com a Colorado e a Amazon, mas pra mim os melhores rótulos do País são de longe, mas de muito longe mesmo, os da Cervejaria Urbana.

10) NOVIDADE DO ANO

Nascimento da Cervejaria Inconfidentes. Modelo a ser seguido.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

Sem sombra de dúvida a abertura da consulta pública do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para rever a regulamentação do setor.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

Como sempre, a falação desmedida dos pseudo formadores de opinião que insistem em nunca perder uma chance de ficarem quietos. Mas como isso não é um fato, e sim dia-a-dia, aponto a notícia de que os caseiros não poderão participar do Festival Brasileiro (de Blumenau) como maior tristeza cervejeira do ano.

Tags: