Paladar

Melhores de 2012, parte 83: Sérgio Fraga

04 fevereiro 2013 | 09:00 por Roberto Fonseca

Imagem: suposto avatar do suposto Sérgio Fraga (suposto autor desconhecido)

Sérgio Fraga, cervejeiro e um dos sócios da Fraga, do Rio de Janeiro (RJ):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Ficou com água na boca?

A 3 Lobos Bravo, a imperial porter maturada em barril de umburana. Para ser sincero, meu paladar dificilmente consegue perceber os efeitos da madeira em uma cerveja. Neste caso, é impossível passar desapercebido. Equilibrou muito bem o teor alcoólico e as notas torradas do malte.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

Gosto muito da Bamberg Helles. Se tivesse uma disponibilidade maior aqui na minha área, poderia ser facilmente minha cerveja de trabalho. É leve e refrescante, sem sacrificar a qualidade do paladar!

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Gostei muito da Schneider Weisse TAP 5, por juntar duas das minhas predileções cervejeiras: trigo e lúpulo. A princípio achei que ficaria estranha, mas o resultado se revelou muito bom.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Não me lembro de ter tomado alguma que tenha deixado marcas memoráveis no meu fígado, digo, cérebro.

5) MELHOR CHOPE

Aquele que lhe atende bem no momento em que você mais precisa dele. Pode ser um Tripel Peripécia, que provei outro dia no Boteco Colarinho, como também um Heineken bem servido em boteco de bairro na Tijuca ou Vila Isabel.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Apesar de não o frequentar tanto quanto eu gostaria, fico com o Boteco Colarinho. O voto não é só pela qualidade e variedade das cervejas, mas também pela sua proposta pioneira aqui no Rio, de trazer chopes artesanais para o conhecimento do grande público, pois na época em que surgiu, todas as casas ofereciam apenas garrafas ou eram focadas no nicho de consumidores já iniciados. O Colarinho abriu a mente do carioca comum para o fato de que cerveja no boteco não tem de ser a estupidamente gelada de sempre.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

Acho que nunca mais vou esquecer do sabor de uma stout (ou seria porter?) com cacau e menta (ou seria hortelã?) feita pelo Pedro Fraga, da Acerva Carioca, e servida no nosso festival de outubro passado. Reparem que o voto não é nepotismo meu! Apesar do sobrenome, o Pedro não é meu parente. Só sei que o “primo” mandou muito bem na sua receita, que fez ainda mais sucesso porque a Mariana, sua namorada (ou seria esposa?), distribuiu aos primeiros sortudos pastilhas de chocolate Lindt, que ficaram deliciosas com a cerveja.

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

Em abril estive em Buenos Aires e, dentro de um pub bem ao estilo inglês, provei uma cask ale. É interessante você finalmente provar algo sobre o qual já tinha lido muito a respeito; fiquei impressionado pelo quão próxima do que eu imaginava que seria foi, de fato, a experiência. Livros e uma boa imaginação realmente fazem uma parceria de sucesso.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Vou votar novamente em uma produção caseira. A cerveja chama-se Hopful, e é feita por um grupo (Fabio Luna, Pedro Ivo Marques Mangeon e Warllen Porcino dos Passos) aqui do Rio, que eu ainda não conheço pessoalmente, apesar de terem se associado recentemente à Acerva Carioca. Vi a foto do rótulo no Facebook e, além de bonito, achei muito interessante o efeito “360º”: ele pode ser virado de cabeça para baixo que fica igual. Muita criatividade e trabalho para chegar a este resultado.

10) NOVIDADE DO ANO

Não seria bem um voto em uma novidade específica, mas sim no conjunto da obra: o aumento do número de festivais e outros eventos cervejeiros pelo Brasil afora.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

A consolidação gradual deste nosso mercado. Apesar de aparecer vez ou outra um picareta na área, a grande maioria entrando no segmento é de pessoas bem intencionadas e que estão ajudando a divulgar o assunto e até a reduzir preços com o aumento da concorrência. O consumidor vai aprendendo a selecionar e agradece!

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

Finalmente vou votar em causa própria: eu e meus sócios atravessamos mais um ano sem conseguir vencer a burocracia e não obtivemos ainda o nosso registro. Espero que no final deste ano você me convide a votar novamente e eu possa eleger como MELHOR fato cervejeiro a liberação da Fraga para o mercado!

Tags: