Paladar

Melhores de 2012, parte 88: Leo Sassen

05 fevereiro 2013 | 21:00 por Roberto Fonseca

Foto: Arquivo pessoal

Leo Sassen, integrante da cervejaria não-comercial gaúcha BSG e juiz do BJCP (Beer Judge Certification Program), de Porto Alegre (RS):

1) MELHOR ALE NACIONAL

Ficou com água na boca?

Fico com a Pampeana uma excelente quadrupel feita para a festa dos 2 anos do brewpub Lagom (de Porto Alegre) em 2012. Esta cerveja foi feita em parceria do Lagom com as cervejarias locais Seasons, Baldhead e Anner. Foi um demorado trabalho de pré-seleção de ervas e chás que iriam para a receita. Uma cerveja com aromas e sabores complexos e um perfeito balanço de malte e lúpulo, álcool e dulçor perfeitos. Uma cerveja de nível internacional, comparada às melhores belgas.

2) MELHOR LAGER NACIONAL

Fico com 2 opções, uma para iniciados e outra para iniciantes. Gostei muito da Oktoberfet 2012 feita em parceria entre a Seasons (de Porto Alegre) e a Heilige (de Santa Cruz do Sul). Uma excelente oktoberfest, melhor que muitas que já tomei em Munique. Saborosa, com a dose exata de lúpulo e um balanço final
de malte e lúpulo perfeito. Pena que é sazonal. Também há a Original versão 2012 da Dado Bier, uma lager que é excelente para os amigos recém introduzidos à cerveja artesanal. Excelente, mostra o sabor e os aromas da cerveja artesanal sem chocar com radicalismo da cerveja extrema ou excesso de amargor, mesmo tendo dry hopping na receita.

3) MELHOR ALE IMPORTADA

Foi difícil a escolha, mas gostei muito da Estrella Damm Inedit que chegou aqui este ano. Uma excelente witbier que se compara às melhores belgas do estilo, com sabor e aroma de laranja e coentro, muito frutada. E está a um preço bem razoável no Brasil.

4) MELHOR LAGER IMPORTADA

Riegele Speziator doppelbock, que chegou em 2012 no Brasil. Uma excelente cerveja, com sabor muito rico e maltado. Aroma de caramelo com toque de melanoidina e tostado, frutado com notas de ameixa. Uma ótima cerveja.

5) MELHOR CHOPE

Gosto muito do chope do bar da Cervejaria Coruja, a “Toca da Coruja” (de Porto Alegre), principalmente da Weizenbock em barril. Cremosa, com um aroma maravilhoso, uma das melhores que já tomei. Apesar ter bastante graduação alcoólica, é extremamente agradável e sem álcool superior.

6) MELHOR BAR CERVEJEIRO

Aqui no Rio Grande do Sul, em 2012, tivemos muitos ótimos bares cervejeiros novos e outros abrindo filiais: o Hidden, o Lagom (filial Parcão), Biermarkt (filial Vom Fass) etc. Mas se for escolher um, escolheria o Apolinário, pois além de ter de tudo, fica aberto até depois da meia-noite (o que é importante para mim). Eles têm uma enorme carta cervejeira internacional, cervejas brasileiras e locais e um excelente restaurante com comidas estilo ”slow food” (tudo feito na hora e com ingredientes naturais), com destaque para a “lasanha de cordeiro”, que é dos Deuses.

7) MELHOR CERVEJA CASEIRA

Não querendo bajular meu amigo Eduardo Boger, mas ele arrebentou em 2012 fazendo uma cerveja chamada “Pecado Original” que deixou todos da Acerva Gaúcha maravilhados em um encontro na BSG. É uma Imperial Barley Wine com uma fermentação para cerveja, outra para vinho e outra para champanhe com calda de maçã, que estava maturando há 2 anos. Cerveja maravilhosa, com um balanço entre o dulçor, álcool e o amargor médio perfeito, retrogosto de maçã, diversos aromas frutados e complexos das fermentações. Uma obra-prima (de repente, depois dessa, ele me dá uma garrafa).

8) MELHOR CERVEJA DO ANO, AQUI OU LÁ FORA

É difícil, mas fico com a Eisenbahn 10 anos, uma excelente doppelbock, nota 10. Maravilhosa, muito aromática, o alto nível de álcool harmoniza perfeitamente com o malte e o dulçor, sem álcool superior. Aromas e sabores de madeira, carvalho e frutados. Pena que não tem em linha. Comprei todas que tinham na prateleira, mas já acabou.

9) RÓTULO MAIS BONITO DO ANO

Gostei do rótulo lançado em 2012 da cerveja Bagual, uma brown ale da Rasen (de Gramado). O rótulo é em alto relevo em uma garrafa de porcelana pintada, muito bonito. Pena que a garrafa fica muito cara.

10) NOVIDADE DO ANO

A grande novidade é o grande número de bares cervejeiros que abriram no País. Infelizmente não consegui viajar pelo Brasil para conhecer muitos. Mas aqui no RS tivemos muitos bares cervejeiros novos em 2012. Saliento 2 brewpubs e um bar: o Lagom (filial parcão), um ótimo brewpub com 30 torneiras, sendo 18 de cerveja própria. Ótimas cervejas para todos gostos, pessoal muito atencioso e preocupado com a qualidade da cerveja. Houve ainda a inauguração do Hidden brewpub, na casa do Ido Schneider, conhecido aqui pelas
boas lagers, vencedor de diversos concursos. No local, nos sentimos em casa, com boa comida e boa cerveja, brassagem do lado da piscina. Em um dia de calor no verão, vou levar o calção de banho. Há,há,há…. Também destaco o Biermarkt (filial Vom Fass), ótimo bar cervejeiro com 24 torneiras de receitas nacionais
e importadas que são difíceis de achar em barril, além de uma carta de cervejas muito boa. A comida estilo alemã tem muita coisa boa, com destaque para o hackepeter.

11) MELHOR FATO CERVEJEIRO

No RS foi a redução de ICMS para as microcervejarias, movimento organizado pela AGM (Associação Gaúcha de Microcervejarias) e pelo Jorge Gitzler, seu diretor-executivo. Também foi poder ver uma quantidade enorme
de bares com cerveja artesanal e cervejas importadas de qualidade. Hoje, em Porto Alegre, virou uma necessidade para os bares terem também opções de cerveja artesanal na carta.

12) PIOR FATO CERVEJEIRO

Além do fato já comentado da proibição do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) para distribuição de cerveja caseira em eventos no Rio e São Paulo, outro fato que me assusta é ver que tem gente que recém começou a fazer cerveja, nem domina o processo e já vende receitas cheias de problemas de
off flavours em bares. Isso pode prejudicar seriamente a cerveja artesanal.

Tags: