Paladar

Tripel gaúcha, Maria Degolada ganha produção comercial

15 fevereiro 2013 | 21:15 por Roberto Fonseca

Glauco Caon e sua cerveja (Foto: Eduardo Carneiro/Divulgação)

Depois de ganhar fama no “boca a boca” em Porto Alegre – era encontrada apenas no Bierkeller, o melhor e mais secreto bar cervejeiro da capital gaúcha, e em poucos outros pontos -, a tripel Maria Degolada chega agora com mais facilidade aos copos nacionais. Criador da receita, Glauco Caon, da Anner Cervejas Especiais, produziu uma leva de 3.500 garrafas na Saint Bier, em Forquilhinha (SC), que deve começar a ser vendida nas próximas semanas. O preço ainda será definido na segunda-feira. Da minha parte, arriscaria dizer que devem chegar ao consumidor entre R$ 20 e R$ 24, mas é melhor esperar.

A Maria Degolada teve sua criação inspirada em um crime ocorrido em 1899 em Porto Alegre – o assassinato de Maria Francelina Trenes -, que, por sua vez, originou uma capela e um bairro no local. Contei essa história em um dos primeiros posts do blog, em março de 2009 (você pode ler mais aqui). A receita cervejeira de época era interessante. Vamos ver, agora, se a cerveja foi refeita a contento da homenageada. O desenho original do rótulo foi mantido – trata-se de uma xilogravura feita pela mãe de Glauco e do também cervejeiro Guilherme Caon. Na imagem, a Maria Degolada observa o degustador com a cabeça nas mãos. Vai encarar?

Além da Maria Degolada,  a Anner deve lançar em breve outras receitas em escala comercial.

Tags: