Paladar

Um brinde

19 fevereiro 2009 | 15:57 por Roberto Fonseca

Saudações cervejeiras, nobre leitor. Se este blog fosse uma cervejaria, poderia dizer que estamos acabando de ajustar os equipamentos para fazer a primeira brassagem daqui a pouco. Minha experiência com a nobre bebida, porém, tem um pouco mais de tempo: começou em 2006, com uma viagem a Santa Catarina para conhecer as microcervejarias de lá. Desde então, venho dividindo meu tempo entre escrever sobre política e cervejas, disparidade que ainda hoje surpreende quem me conhece. Tenho, porém, dois bons exemplos: o finado Michael Jackson (sempre confundido com o cantor) e Conrad Seidl, que também se dividiam entre as duas funções.

Antes de começar a “produção”, uma explicação sobre o logotipo do blog. Trata-se de uma ilustração que, ao menos até alguns anos atrás, era fácil de encontrar em cervejarias (em especial nas controladas por alemães). Ele traz os equipamentos (em suas versões mais rudimentares) e matérias-primas usados na fabricação de cerveja. Geralmente, vem acompanhado de um ditado em alemão: “Hopfen und malz, Gott erhalt’s”, ou “Lúpulo e malte, Deus conserve”. Alguns mestres-cervejeiros o interpretam como “enquanto houver lúpulo e malte, está tudo bem”. Em tempos de aumento de preço e cervejas cada vez mais “suaves”, não deixa de ganhar outros sentidos.

Sem me alongar mais, reafirmo o objetivo deste blog, que, em parte, já está ali em cima: avaliar as cervejas disponíveis no mercado, independente de nacionalidade, preço e estilo. E, desse todo, indicar as que valem a pena. Nesse processo, espero poder, também, contar um pouco das histórias de cada cerveja e, principalmente, de quem a produz e por que a produz.

Ficou com água na boca?

Saúde e até daqui a pouco