Paladar

Um gole do Cerrado

08 novembro 2012 | 05:02 por Patrícia Ferraz

É bem provável que você pense primeiro no Sul de Minas quando se fala dos cafés do Estado. Mas é preciso olhar com carinho para os primos do Cerrado Mineiro, no Noroeste, que conquistaram a Indicação Geográfica em 2005.

 

Esta semana, experimentamos um dos exemplares da marca Nuance Cafés Especiais, que atua naquela região com grãos de origem controlada e alguns microlotes. Nosso eleito foi café natural, da variedade catuaí amarelo. Ele é produzido em Paracatu, na divisa com Goiás, por Evanildo Peres Domingues, da fazenda Paraíso da Nascente.

Ficou com água na boca?

 

FOTO: Cynthia Almeida Rosa/Estadão

 

As boas surpresas começaram na embalagem, que traz informações como data de torra, número de lote e safra. Provamos um café torrado no dia 22 de outubro, da safra 2012/2013. A partir de uma moagem média, extraímos a bebida em uma Hario V60, na seguinte proporção: 40 gramas de pó para 500 mililitros de água. Quase no fim do processo, que durou cerca de quatro minutos, desprezamos os últimos 50 mililitros, nos quais a cafeína se concentra, com uma sensível alteração de sabor.

 

O resultado foi um café equilibrado, fácil de beber. O líquido, de sabor e acidez agradáveis, se revelou encorpado e doce, com finalização prolongada. Notas de caramelo e de chocolate se sobressaíram no teste.

 

Onde comprar?
O Nuance é vendido pela internet no site cafenuance.com.br e os pacotes são enviados pelo correio. É possível comprar também na loja da própria torrefadora: Rodovia MG 29, Km 1, 675-A, Distrito Industrial, Araguari (MG), (34) 3241-1622.

 

Nuance Cafés Especiais – Fazenda Paraíso da Nascente: R$ 12,00, embalagem de 250 gramas, torrado em grãos ou moído (para coador); R$ 24,50, embalagem de 1 quilo, grão cru.

Tags: