Paladar

Jô Auricchio

Agressão hidrogenada

18 abril 2009 | 22:05 por Estadão

A pior passagem dessa páscoa foi um ovo de mockolate que apareceu aqui em casa.

Minha esposa acabou comprando para ajudar uma conhecida.

Por causa do jornal, eu costumo chegar meio tarde em casa. Em dias de fechamento, é comum chegar e todos estarem dormindo.

Ficou com água na boca?

Pois cheguei e vi o ovo em cima da mesa. Como nem acendi a luz, não deu para ver direito a embalagem. Peguei um naco, de uns 3×3 cm, e comi com vontade. A casca era um sanduíche com beijinho dentro, gostosinho até.

Meio amortecido pelo cansaço, acabei deglutindo o chocolate. Arrependimento. O sabor do que deveria ser chocolate era pavoroso. Na hora, meu “sentido de aranha” me avisou: mockolate, seu loser… você comeu mockolate.

Enojado, fui escovar os dentes para dormir.

Eu mal havia deitado e meu estômago começou a pegar fogo, com uma dor aguda. O maldito mockolate hidrogenado havia me brindado com uma dor que crescia exponencialmente.

Aí, rola daqui, rola de lá, e a dor só piorava. Decidi ir até a sala, assistir TV para esquecer da dor. Que sorte, estava passando Dr. House. Como ele diagnosticaria uma lesão causada por mockolate?

“É lupus”, diria um de seus assistentes.
“É ruim, mas é outro tipo de doença. É algo simplesmente sintomático”, falaria House, mancando pela sala.
“O que poderia causar tais sintomas?”, perguntaria aquela doutora bonitona, com cara de boneca.
“É o fruto de mentes malignas, a enganação letal. É mockolate.”, concluiria o doutor, colocando um comprimido na boca.

Acabou House e além da dor, ganhei um enjôo homérico.

Dois Eparemas depois, mais uma hora abraçado com Bender, que me consolava por ser tão imbecil, e a dor e o mal estar acabaram passando.

A lição foi clara. Nunca mais como nada parecido com chocolate antes de fazer uma análise laboratorial para saber os componentes. Se for mockolate, também conhecido pelas alcunhas de chocolate cobertura, doce sabor chocolate ou chocolate hidrogenado, passarei reto.

Estou convencido que essa coisa sem alma é cria de satã, em um de seus dias mais inspirados para malvadezas.

Vade retro, vil criatura hidrogenada.