Paladar

Beira-rio, beira-mar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Beira-rio, beira-mar

22 julho 2011 | 09:22 por Luiz Américo Camargo

Em San Sebastián, a primeira refeição foi no restaurante do Kursaal, o espaço de eventos que abriga, entre outras coisas, o congresso Gastronomika. O lugar é privilegiado : você avista o mar e o charmoso Rio Urumea.

 

Ficou com água na boca?

Rebatizado como Ni Neu, o restaurante, que já foi comandado pelo Grupo Martín Berasategui, passou há algum tempo para a supervisão de outro grandíssimo chef, Andoni Luis Aduriz. Mas quem comanda a cozinha, na prática, é o também basco Bixente Arrieta.

E em pleno verão, com a cidade movimentada por turistas (muitos franceses, principalmente, já que a fronteira está a poucos quilômetros), eu dei a sorte de conseguir uma mesa sem reserva. Chegamos para almoçar já um tanto tardiamente, uma vez que a decisão de ir lá foi de última hora. Um tanto cético, perguntei se havia mesa para três. Os garçons, muito cordiais, me pediram para aguardar um pouco, ao lado do balcão onde estavam pintxos e pequenas porções… e, para minha surpresa, havia mesa disponível.

O Ni Neu é um belo exemplo de como é possível harmonizar necessidades turísticas, por assim dizer, com qualidade gastronômica. E de como conciliar simplicidade e bom preço com execução técnica de ótimo nível.

No almoço, há três níveis de menu disponíveis, de 38,50, 32 e 25,20 euros. Todas as fórmulas incluem água, pão e vinho (o tinto Palaciego, da Rioja, e o branco Viña 65, de Rueda). O que varia é a quantidade de itens – o mais caro tem seis tempos – e há uma considerável diversidade de opções para a montagem do menu.

Optei pela forma mais básica, de 25, 20, com entrada, prato e sobremesa. Para não alongar muito mais o post, provamos, como entrada: arroz com caldo de mariscos (acima); salada de anchova, com folhas e tomate confitado; tartar de atum e bonito. Pratos: costela de porco com quinua; bonito assado com cebolas caramelizadas; meio lavagante com fideuá (a foto abaixo; para estes dois últimos pratos, houve um acréscimo de preço no menu, 5 e 6 euros, pela ordem). Sobremesas: uma torrija (uma rabanada, vá lá) com sorvete de baunilha; creme de coco com ‘nhoques’ de limão (a última imagem); sorvete de chocolate com avelãs.

Tudo muito leve, tudo muito gostoso (ainda que com un puntito de sal abaixo do que considero ideal) e, se consideramos o que custa o menu, de notável boa relação preço/qualidade. Gostaria de ver propostas como esta surgindo e se multiplicando pelas capitais brasileiras. A senteça matemática? Produtos frescos + cozinha de chef + lindo ambiente + serviço simpático e eficiente + vinho, água e pão = + ou – 30 euros por pessoa.

 

Está bom, não? E como comi bem em San Sebastián. Contarei aqui, ao longo dos dias.

Ni Neu – Av. de la Zurriola, 1 (Kursaal). 10h/1h