Paladar

Brasserie com alma (e com cerveja!)

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Brasserie com alma (e com cerveja!)

10 junho 2015 | 15:36 por Luiz Américo Camargo

Muito tempo atrás, ainda no Divirta-se, escrevi um texto meio implicante sobre como alguns termos e ideias acabavam sendo distorcidos no nosso mercado. Explico. Era a velha história da trattoria que parecia ristorante, do bistrô metido a chique, da brasserie que não dava ênfase à cerveja.

O cenário evoluiu e esses conceitos, até por conta da crise, vêm se ajustando melhor. Com direito, inclusive, à consolidação de lugares como o Ici Brasserie, com boas receitas de inspiração francesa e, como sugere o nome, atenção especial às cervejas – apesar do clima mais novaiorquino do que alsaciano.

FOTO: Hélvio Romero/Estadão

O tema desta coluna é a unidade da R. Bela Cintra, aberta há dois meses. Contudo, a capacidade empreendedora de seus sócios – o Grupo Ici e a Cia. Tradicional de Comércio – é tamanha que, há poucos dias, uma terceira sede já foi inaugurada, no Market Place. Tratemos, enfim, da filial dos Jardins, a única na rua. A ambientação segue o estilo da rede, com barris de chope na fachada, decoração moderna e música alta.

O cardápio, elaborado por Benny Novak e executado por Marcelo Tanus, é quase igual ao da casa-mãe, no JK Iguatemi, com poucos itens novos. A cozinha de bistrô segue como referência, ora com receitas mais clássicas, ora mais despojadas, porções, sanduíches.

O plateau de charcuterie (R$ 57, para dois), com terrine de campagne, rillette de porco, foie gras au torchon (enrolado no pano e cozido) e embutidos, é pura diversão bistrotière. O steak tartare (R$ 37, entrada, ou R$ 50, prato) é exemplar na textura e na condimentação.

Os sanduíches, como o ótimo hambúrguer (R$ 39), montado com sabedoria e guarnecido por fritas de primeira, e o porquinho crocante (R$ 35), com barriga de porco, bacon e cornichon, são à prova de decepção. O frango assado (R$ 49), servido com legumes, tem tempero equilibrado e se desprende facilmente dos ossos.

É notável como o Ici Brasserie tem conciliado qualidade e padrão com escalas cada vez maiores.

Em resumo, a comida é boa; a bebida, bem tratada; e a atmosfera, acima de tudo, convida ao congraçamento, ao deleite. Como, afinal, convém a uma brasserie. Por fim, uma observação de quem se sentou em diversos pontos do salão, em dias diferentes. Nas mesas à esquerda de quem entra, onde estão as prateleiras com garrafas, o serviço é curiosamente mais rarefeito. Se estiver com pressa, prefira os assentos do meio ou os sofás.

Por que este restaurante?
Pela boa cozinha à francesa, pela seleção de cervejas especiais (além de astuta oferta de vinhos e drinques).

Vale?
Da entrada à sobremesa, gasta-se em torno de R$ 100/cabeça, sem bebidas (mas é possível partilhar vários itens, o que reduz a conta). O que vai definir a cifra final é a sua sede. As cervejas, que já não eram baratas, subiram por causa da nova tributação. Vale.

PS: Depois de onze anos, deixo de escrever críticas no Grupo Estado. Por quê? Para começar uma nova etapa na carreira. Vale? Opa, se valeu! Agradeço ao Estadão e aos leitores. Espero que tenha valido para vocês.

SERVIÇO – Ici Brasserie
R. Bela Cintra, 2.203, J. Paulista
Tel.: 2883-5063
Horário de funcionamento: 12h/15h e 18h30/0h (2ª, até 23h; 6ª, até 1h; sáb., 12h/1h; dom., 12h/23h)
Cc.: todos
Estac.: Manob. R$ 25
Ciclorrota mais próxima: R. Oscar Freire
Metrô mais próximo: Consolação (1,4 km)

>>Veja a íntegra da edição do Paladar de 11/6/2015

Tags: