Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Mais uma pitada…

22 janeiro 2010 | 11:27 por Luiz Américo Camargo

Quem leu o Paladar de ontem viu que a reportagem de capa tratava do sal. Do seu bom uso culinário, mais exatamente. A matéria aborda várias aspectos: é dom? é tecnica? quais as proporções corretas? todo mundo sente igual?

Fiz um pequeno texto na pág. 5 (aqui), observando que, a meu ver, muitos restaurantes da cidade andam com medo do cloreto de sódio. O resultado? Comida insossa. Salgar demais, portanto, é péssimo. Salgar pouco ou não salgar, por outro lado, é desanimdor.

Não sou daquele tipo que anda com o saleiro do lado. Prefiro aquela medida que identifico como equilibrada (que, na comparação com muita gente que conheço, é mais para menos do que para mais). Mas defendo enfaticamente o direito ao gosto do gosto. Se não há sal, não há realçamento do sabor.

Ficou com água na boca?

Hoje, no Estado, um artigo no Vida trata dos perigos da comida salgada para a saúde. Compara os ganhos da redução do sal aos benefícios de parar de fumar. Mas adiciona uma pitada a mais na controvérsia. Há quem defenda que o uso muito restrito do ingrediente na alimentação cotidiana pode acarretar desequilibrios hormonais.

Parece mesmo que o caminho do meio é o melhor. Para o coração e para as papilas.