Paladar

O Cibrèo quer conquistar Florença

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

O Cibrèo quer conquistar Florença

09 agosto 2010 | 08:53 por Luiz Américo Camargo

IMG_0545

O modelo de negócio é, no mínimo, curioso. Sob o mesmo nome, Cibrèo, estão um restaurante (mais formal), uma trattoria, um café e um… teatro. Todos praticamente na mesma quadra, na região de Santa Croce, um lugar onde o tráfego de turistas nem é tão intenso.

A comida é ótima, o programa como um todo é bom. Mas repasso o mesmo sábio conselho que recebi. Vá à trattoria (na foto acima), pois o menu é parecido com o do restaurante, porém vendido pela metade do preço. O cardápio, bastante enxuto (no restaurante ao lado, é mais amplo), é renovado periodicamente, conforme a disponibilidade de ingredientes, e contempla os clássicos regionais, feitos com bons produtos e sem muita invencionice. Comemos lá duas vezes, simplesmente para poder experimentar quase tudo o que havia no menu.

Ficou com água na boca?

Os antepastos custam 7 euros. O mesmo valor é cobrado para os primi piatti. O segundo prato, por sua vez, sai por 14 euros. Ou seja: come-se muito, e bem, por R$ 65 (claro, não estou contando bebidas e o serviço).

IMG_0547

Começamos com crostini de patê de fígado, ricota da casa e gelatina de pomodoro (deliciosa); seguimos com passata de porcini fresco, polenta com azeite e parmigiano (na foto) e outra passata, desta vez de peixe; terminamos com baccalà amantecato, polpetini de frango e girello di manzo albese (um carpaccio, com carne crua, do corte que chamamos lagarto). A qualificação média dos pratos? Nada abaixo do muito bom.

A recomendação de vinho foi certeira, também. Um branco de cultura biológica ali da Toscana,o Dorellino 2007, do produtor Podere Volpaio (70% Malvasia, 30% Trebbiano).

IMG_0540

No Cibrèo não tem massa. Aliás, na segunda visita, reservada para provar o que não tínhamos pedido no primeiro dia, nos divertimos com a reação exasperada do gerente. Como minha filha queria apenas um prato, sem grandes elaborações, perguntamos discretamente ao garçom se seria possível preparar uma simples… pasta. Pois o homem, que estava a alguns metros, ouviu e veio apontando para a rua, mais precisamente para um outro restaurante, logo em frente: “se quiser pasta, tem ali, no Pizzaiolo”.

Superado o cômico estresse – explicamos a ele que queríamos comer lá, mesmo -, pedimos então papa al pomodoro, sformatto de ricota com pesto, berinjela à parmigiana, vitello tonnato. Estava tudo ótimo mais um vez, ainda que tivéssemos comido mais na primeira visita, e ainda que o impacto inicial tivesse sido maior.

Por fim, uma informação para aumentar a indignação de quem porventura pagar mais caro no Ristorante Cibrèo: a comida servida tanto num como noutro estabelecimento é feita na mesma cozinha, pelo mesmo chef, com os mesmos produtos…

Aliás, não parece algo coerente com aquilo que há tempos martela este blog? Se você quer luxo e conforto, pague explícita e separadamente por isso.

Cibrèo Trattoria – Via de’ Macci, 118-r, Florença, 055 2341100