Paladar

Pescados y peces

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Pescados y peces

16 agosto 2011 | 08:35 por Luiz Américo Camargo

Estamos em Errenteria, no País Basco, perto de San Sebastián (e perto da fronteira com a França). Uma cidade pequena, habitada especialmente por trabalhadores das indústrias da região. Mas o que quero registrar são dois momentos muito diferentes, flagrados num rápido rolê pelo local, ambos envolvendo peixes.

O primeiro diz respeito à gastronomia. É impressionante entrar num supermercado comum e se deparar com pescados também de excelente qualidade. O produto de alto nível  não está só no (caro) mercado de La Bretxa, em San Sebastián. Está nos pontos de varejo mais periféricos, também.

Na foto, a ‘raia del dia’, a 5,80 euros o quilo. E uns bonitos (aliás, um pouco pequenos…).

Ficou com água na boca?

A segunda situação, digamos, é ambiental. Foi durante uma rápida caminhada pelas margens do Rio Oiartzun, que corta a cidade. Consta que o rio quase morreu por conta da ação industrial (resíduos da fabricação de papel, em especial), um processo que vem de décadas. Porém, paulatinamente, ele vem sendo recuperado – ainda que suas águas tenham aparência bem pior do que as do Urumea, em San Sebastián; e ainda que seu cheiro não seja exatamente dos melhores.

O curioso, contudo, é que o Oiartzun está cheio de peixes, como dá para ver (tenham boa vontade, por favor) na imagem abaixo. Mas, claramente, eles não estava passando muito bem, o que, suponho, se deva à baixa oxigenação da água. Pelo que pude apurar, trata-se do corcón (Chelon labrosus), uma espécie marinha que envereda pelas águas doces. A mesma, aparentemente, que vi nadando também no Urumea – onde, ao contrário do que acontece em Errenteria, a vida subaquática parece bem mais tranquila.