Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Tour coreano

18 agosto 2014 | 16:14 por Luiz Américo Camargo

A proposta surgiu num boletim ainda recente na Rádio Estadão. Era fim de julho, depois da Copa, e eu sugeria que, nos últimos dias de férias, o público aproveitasse São Paulo como se fosse turista: viajando dentro da própria cidade. Uma alternativa de passeio? Um pequeno circuito coreano – ao menos, para quem ainda vê esta modalidade culinária como novidade. Indiquei três restaurantes que aprecio, no eixo Liberdade/Aclimação: o Portal da Coreia (na R. da Gloria); o Bicol e o Lua Palace (ambos nas imediações do Parque da Aclimação). Se eu tivesse que fazer hoje o mesmo comentário, incluiria uma outra parada, que conheci há poucos dias – certamente, a menos pretensiosa de todas as citadas. É o Gabinae, na R. Lubavitch, 99, no Bom Retiro (outro enclave da colônia), um estabelecimento prosaico, para almoços do cotidiano. O cardápio, que cabe numa tira de papel, está todo em coreano – com exceção dos preços, expressos nos bons e velhos algarismos arábicos. Os cozinheiros mal falam português, mas a gentil proprietária domina os dois idiomas e explica com simpatia as sugestões da ementa. São receitas caseiras simples e bem feitas, como sopas (a de costela de boi, por exemplo) e frituras (versões de tempurá, tonkatsu etc), entre outras sugestões. O preço médio é de R$ 25, com arroz e kimchi de nabo acompanhando. Se for passar por lá, só não esqueça do dinheiro: papel-moeda é a única forma de pagamento.