Paladar

Trivial espanholado a preço justo em Pinheiros

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Trivial espanholado a preço justo em Pinheiros

20 maio 2015 | 16:23 por Luiz Américo Camargo

A chef Renata Braune trocou o vermelho pelo ocre. O restaurante por um bar gastronômico. Deixou o Chef Rouge, que comandou entre 1994 e 2012, deu aulas e consultorias por um tempo e, agora, retorna ao mercado com o La Reina, uma casa de tijolos aparentes, tons amarelos, salão prosaico e quintal com ar interiorano. Aqui, o menu e as referências não remetem aos standards franceses. Mas acenam na direção da Espanha e da cozinha caseira.

O cardápio do La Reina é sintético e muda conforme o horário. No almoço, predominam opções mais triviais. À noite, a carta apresenta outros itens principais – incorporando mais alternativas no fim de semana. Já os sanduíches e petiscos, estão disponíveis em todos os horários.

Ficou com água na boca?

Carbonara à espanhola. Espaguete com huevos revueltos e chorizo. FOTO: Divulgação

Gostei, em especial, dos croquetes de carne com paio e tomilho (R$ 23, com oito unidades) e dos bolinhos de arroz com queijo (R$ 20, também oito). E dei menos sorte com as croquetas de presunto serrano e alho-poró (R$ 24, com seis), um tanto encruadas. Considerando todas as visitas, contudo, o melhor começo de repasto foi com as lulas assadas com tomate e alho confitado (R$ 28).

O almoço, conforme o dia, destaca pratos de resistência como polpetone com batatas bravas e carne assada com ratatouille e purê de batata doce (ambos R$ 36, com salada de entrada), feitos com capricho e sem afetação. O repertório fica mais interessante no jantar e aos sábados e domingos. É quando aparecem o espaguete com huevos revueltos e chorizo, um primo espanholado do à carbonara (R$ 36); e um apurado picadinho (RS 39), com molho copioso.

Os pães feitos na casa, embora vivamente recomendados pelos gentis garçons, bem poderiam ser mais bem fermentados e assados. Quando eles são mero acompanhamento para alguma porção, as deficiências aparecem menos. Quando são servidos nos sanduíches (como o de linguiça acebolada com queijo montanhês, R$ 22), aí, sim, comprometem. O desfecho das refeições, por outro lado, é confiável, com sobremesas como torta de maçã, tartelette de ganache e crumble de amêndoas com coco e manga.

De resto, é interessante notar o movimento de nomes como Renata Braune (assim como Carla Pernambuco, no novo Clementina) na direção da cozinha trivial. Não apenas para conferir o olhar gastronômico das cozinheiras sobre um repertório mais comezinho. Mas como sinal de uma mudança de panorama – que já vem de longe. Não é mais o cenário da década passada, com salões cheios, filas e tíquetes médios altos (evidentemente, há exceções e vários continuam a todo vapor). E, sim, um momento em que mais simplicidade e menos dígitos parecem ter se tornado as prioridades de chefs e comensais. Pretensões e apetites que, enfim, se adaptam a uma economia menos aquecida.

Vale?
É comida simples a preço condizente. Está justo. No almoço durante a semana, com opções mais triviais no cardápio, gasta-se em torno de R$ 50 por pessoa. No jantar e no fim de semana, que tem repertório mais interessante, gasta-se de R$ 75 a R$ 100, da entrada à sobremesa. Sem bebidas.

SERVIÇO – La Reina
R. Joaquim Antunes, 621, Pinheiros
Tel.: 2366-0216
Horário de funcionamento: 12h/17h30 e 18h30/ 23h30 (6ª até 0h; sáb. 13h/17h e 19h30/0h; dom., 13h/17h; fecha 2ª) Ciclofaixa: Artur de Azevedo
Metrô: Fradique

>>Veja a íntegra da edição do Paladar de 21/5/2015

Tags: