Paladar

Um novo levain: eis aqui

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Um novo levain: eis aqui

23 dezembro 2010 | 08:00 por Luiz Américo Camargo

Orgulhosamente, venho aqui apresentar o produto do nosso esforço. Valeu? Eu aposto que sim. Está com uma boa aparência, convenhamos. A casca ficou ótima, crocante, espessa, complexa. O miolo é perfumado, com sabor levemente ácido, e alguns toques de mel.

O pão assou de manhã bem cedo, por 45 minutos, com fogo bem alto. Antes de ir ao forno, foi devidamente coberto por uma ‘nuvem’ de água, produzida por uma dessas garrafas térmicas.

Ficou com água na boca?

Fazendo uma autocrítica, acho que a massa deveria ficar um pouco menos densa. Mas até sei o que fiz, e foi risco calculado: usei menos de 70% de água. Tive receio de que o filão perdesse estrutura e ficasse muito achatado. Mais hidratado fosse o pão, certamente os alvéolos seriam maiores. Vou continuar a fazer experiências.

Gostei do resultado do nosso fermento. O processo de criação foi rápido e eficaz, não? E, mais uma vez, quero declarar que me inspirei em dicas do especialista americano Peter Reinhart, autor de um blog e principalmente de livros como Whole Grain Breads: New Techniques e The Baker’s Apprentice, entre outros.

Minha recomendação é que façamos nossos pães sem pressa. Pratiquem, para valer. Expliquem para a família que a cozinha toda enfarinhada, que a bagunça de potes e fermentos pela casa, tudo isso é por uma boa causa. E que, no fim, todos serão beneficiados.

Mandem as fotos de seus pães para o email fermentacaonatural@gmail.com. Façam um breve comentário sobre a jornada. Nos próximos dias, apresentarei aqui no blog uma galeria imagens dos participantes.

Estou à disposição para dúvidas. Quero agradecer a todos que participaram desta aventura – seja comentando, seja só observando, seja sujando a mão de farinha. Posso dizer que é um orgulho passar as festas apreciando o seu próprio pão. E gostaria de desejar um feliz natal para todo mundo. Volto na semana que vem.