Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Uma estrela para o Etxebarri (ao menos, por seis meses)

03 dezembro 2009 | 12:22 por Luiz Américo Camargo

O Asador Etxebarri, de Bittor Arguinzoniz, ganhou enfim uma estrela Michelin. O restaurante, um dos melhores do País Basco, há tempos vem encantando com sua alta gastronomia feita com brasas – mas o prestigioso guia sequer o mencionava em suas edições dedicadas à Espanha. Fez-se justiça, afinal.

Mas o amigo Jacques Trefois, colaborador do Paladar, me deu uma notícia muito interessante. Ele acaba de conversar com Arguinzoniz, que afirma não estar feliz com a estrela. Segundo o chef, o Etxebarri já trabalha do jeito que ele gosta, e não precisa de hordas de turistas que “não tem nada a ver com sua comida” invadindo o restaurante. “Já tenho um bom público. Pessoas que realmente apreciam o que faço”.

Resultado: segundo relatou Trefois, o cocinero disse que vai dar seis meses de prazo. Se não gostar da nova movimentação, “da agitação do novo público”, vai devolver a estrela.

Ficou com água na boca?

Já pude comer no Etxebarri, é uma experiência espetacular. Já tive a chance de conversar com Arguinzoniz, uma espécie de gentle giant: um sujeito grande, que exala um cheiro constante de carvão (ele é o manipulador de brasas e grelhas), mas educadíssimo e cordial. Mas, conforme aponta Trefois, trata-se de um chef acima de tudo com a típica obstinação basca. Um turrão, em suma.

Espero que ele fique com a estrela, e que mantenha suas virtudes. E que muito mais gente possa se perder pelas estradas que levam até Axpe – é duro chegar lá – para conhecer as gambas, as navajas, chorizos e bacalhaus do mais sutil dos assadores.