Paladar

Luiz Américo Camargo

Eu só queria jantar

Uma mão suja a outra

27 maio 2009 | 09:06 por Luiz Américo Camargo

O título acima foi usado na edição de 19/6/2008, um caderno especial sobre o grande evento de cozinha brasileira realizado pelo Paladar, nas confortáveis instalações do Grand Hyatt. O espírito era exatamente esse: chefs trocando impressões, produtos, ideias. Um metendo a colher no tacho (e, por vezes, até no Thermomix) do outro.

Neste ano, o Paladar – Cozinha do Brasil vai apostar mais do que nunca na interação. Várias das atividades (leia no Paladar de amanhã) envolvem dois ou mais chefs, num autêntico laboratório de sabores e possibilidades.

Os chefs vindos de Salvador, por exemplo, foram alinhados no grupo Novos Baianos. Edinho Engel e Paulinho Martins darão uma aula cotejando os produtos do Recôncavo com os da Costa do Cacau, enquanto Beto Pimentel e Marc LeDantec aproximam a França da exuberância dos frutos da terra e do mar da Bahia. Carla Pernambuco, por sua vez, junta-se ao peruano Coque Ossio para mostrar afinidades e diferenças entre o Brasil e o Peru.

Ficou com água na boca?

Já o trio Ana Soares, Mara Salles e Neide Rigo (que, no ano passado, encantou expondo uma ‘Radiografia da mandioca’), vai explorar os sabores amargos, com jiló, jurebeba e muitas outras surpresas. Passando para Minas, Nelsa Trombino, do Xapuri (MG), e Luiz Emanuel, do Allez, Allez! e do Chafariz, vão estabelecer um diálogo de estilos e gerações. E, com expectativa de produtos e tradições interessantíssimos, Salomão Conde e Dona Brazi trazem a São Paulo os segredos do terroir de São Gabriel da Cachoeira, no Amazonas.

O clima de jam-session segue pelos vinhos nacionais, como no painel que vai analisar várias safras do Lote 43, reunindo nomes como Luiz Horta, Saul Galvão, José Luiz Pagliari, Didu Russo e grande elenco.

E a experimentação dá o tom também nos almoços e jantares do Grand Hyatt. Os Novos Baianos, por exemplo, se agrupam em quarteto e fazem um menu de cabo a rabo, só explorando produtos made in Bahia. Simon Lau, o dinamarquês do Aquavit, encontra Tommy Franssila, o sueco do Grand Hyatt, para apresentar uma visão nórdica de nossos ingredientes.
Carla Pernambuco e Coque Ossio, por sua vez, mostram na cozinha, na prática, as ideais que defenderão no workshop. E há outros encontros mais, como o de Shin Koike com Adriano Kanashiro; o de Rodrigo Oliveira e de Derivand de Souza (harmonizando petiscos e caipirinhas); o de Mara Salles e Nelsa Trombino na feijoada de sábado. Sem contar o churrasco do Mercosul, no domingo, reunindo os estilos uruguaio (Luís Acuña), argentino (Fernando Trocca) e brasileiro (representado pelo Rubaiyat).

Eu, por sorte, vou estar lá o tempo todo, trabalhando, e poderei ver um pouco de tudo. É um privilégio.

Os assuntos explorados no Paladar – Cozinha do Brasil renderiam textos de muitos e muitos caracteres. Por isso, prefiro parar por aqui e retornar num outro post.

As informações sobre temas e horários estão no site www.paladardobrasil.com.br