Paladar

Luiz Horta

Momento sugestão

17 fevereiro 2009 | 20:47 por Luiz Horta

Dividi a mesa, durante as 6 horas de degustação, com um italiano chamado Fabio Miccoli. Compenetrado, sério e sabedor de tudo. Conversamos bastante e eu fiquei espantado com o nível de conhecimento dele. Então veio a bomba: foi o melhor sommelier da Itália em 2007, com 27 anos e ano passado um dos dez finalistas para o Melhor Sommelier do Mundo. Quem não conhece o concurso, basta explicar que as provas são mais complicadas que para ser astronauta ou até mais que um Master of Wine. Equivalem a um doutorado difícil em vinhos, com testes tais como acertar às cegas uma dezena de brancos da Borgonha ou corrigir erros espertos em uma carta fictícia.
Pensei então uma coisa atrevida.
Nossos restaurateurs importam sofás, fogões, foie gras e até chefs. Porque nunca importaram um sommelier treinadíssimo?
Aproveitando a crise na Europa, a ida de um profissional assim para o Brasil equivaleria a, digamos, aquele momento em que a coleção do Masp foi comprada a bom preço. Seria certamente uma revolução cultural importante na área do vinho em restaurante e criaria escola. Houve o caso do Danio Braga e alguém duvida que ele mudou a cara de como se bebe vinho no Rio?