Paladar

Luiz Horta

Outro dia róseo

25 fevereiro 2010 | 03:01 por Luiz Horta

Quem tem amigos tem tudo, diz o ditado. Tudo não sei, mas uma garrafa trazida na mala, tem.

A história do Tondonia Rosado vem de longe. Sou ardoroso fã da Bodega López de Heredia, que produz os sublimes Tondonia, Bosconia, Gravonia, Cubillo, na Rioja. Estive lá em Haro, anos atrás. Conheci a família aqui em São Paulo, mas nunca tinha provado o rosé. A produção é mínima, fica quase toda na Espanha. Recentemente, Eric Asimov elogiou o vinho no NYTimes. O que era raro ficou impossível.

Quando Julio Cesar Lopez de Heredia veio, ano passado, para a degustação da importadora Vinci, trouxe na mala, para mim (honra que ainda me faz engasgar) um Gran Reserva branco 1964. E ainda se desculpou, “não trouxe o 57 pois temi a viagem longa”. Tomado no Hyatt, enquanto o entrevistava para o Paladar. Mas rosado, nada. Foi ficando um mito na minha vida, existe, já foi visto, mas eu nunca “presenciei” nenhum.

Ficou com água na boca?

Duas semanas atrás um amigo -baita amigo- (estou gongórico pra caramba hoje, mas estes vinhos levam dezenas de anos esperando…) mandou um email de Madri, “se disser onde tem, eu compro”. Adrenalina vinífera total! Suei terroir!

Passei horas no google, achei numa loja pequena no bairro de Gracia, em Barcelona. Desanimei. Mas ele gostou do desafio, tomou o AVE, foi a BCN, comprou todas as 7 garrafas do estoque e trouxe. Só tem louco nesta coisa de vinhos. Sábado provei uma, hoje tem outra…conto amanhã!

ftondoniaROS

[Tondonia Gran Reserva/foto LdeH]

Tags: