Paladar

O Cachacier

Tudo sobre cachaça, por Mauricio Maia

No mundo da cachaça, a informação é a melhor forma de quebrar o preconceito

Saiba mais sobre o que foi discutido na quinta edição da Cúpula da Cachaça

15 fevereiro 2017 | 20:20 por Mauricio Maia

Continuando o relato sobre as discussões durante a V Cúpula da Cachaça (leia a primeira parte aqui), realizada no último final de semana de janeiro, gostaria de trazer à discussão mais dois pontos que mereceram atenção especial tanto nas seções internas quanto na mesa redonda aberta ao mercado (produtores, instituições, fornecedores, distribuidores, etc): “como melhorar a imagem da cachaça?” e “onde estão os entraves para a cachaça chegar até o consumidor?”

Fazendo um balanço, fico contente pois em ambas as discussões foram levantadas questões e propostas muito parecidas. Acima de tudo, chegou-se a conclusão de que o produtor possui diversas dificuldades até colocar a cachaça no copo das pessoas. Desde tributação, concorrência desleal das bebidas clandestinas, até falta de estrutura para a correta distribuição, mas, principalmente, o desconhecimento da cachaça e seu processo de produção por parte de quem vende (garçons, bartenders, maitres, etc) – assunto que já foi pauta em um post anterior. E a resposta de como contornar essa situação foi unânime: educação!

É necessário que se eduque todas as pontas da cadeia, do produtor, que muitas vezes não pesquisa e não conhece o próprio mercado, ao consumidor, que não conhece cachaça e não gosta de arriscar. Porém, é muito importante que também que se capacite a brigada de uma casa para que todos tenham a competência para efetuar uma venda com mais qualidade, com mais facilidade, e consiga encantar e emocionar os cliente com todos os atributos que a cachaça pode oferecer.

Ficou com água na boca?

 

Reunião durante a V Cúpula da Cachaça

O 13 membros da Cúpula da Cachaça discutiram entraves e soluções para o mercado da branquinha. FOTO: Mateus Verzola/Divulgação

 

A cachaça faz parte de nossa cultura, de nossa identidade como brasileiros, e é um tanto estranho pensar que não conhecemos o produto que representa tudo isso. E a única coisa que pode quebrar esse ciclo e recolocar a cachaça no patamar que ela merece é a informação.

Diversos cursos já foram realizados durante estes dois meses, de norte a sul as pessoas estão falando de cachaça. E vários eventos devem acontecer nos próximos meses. Da ExpoCachaça em BH, no início de junho, ao Festival Mundial da Cachaça em Salinas (MG), de 14 a 16 de julho. São boas oportunidades de multiplicar a informação de qualidade e assim encantar possíveis amantes da água que passarinho não bebe.

Ministro diversos cursos pelo País e fico muito contente em ver que a demanda está aquecida. A quantidade de pessoas interessadas em conhecer mais do universo etílico do destilado de cana de açúcar não para de crescer. Sanar a sede – sem trocadilhos – por história, cultura, gastronomia, por aromas e sabores da cachaça é a maneira mais rápida e eficiente de quebrar os preconceitos que infelizmente ainda existem e, assim, melhorar a imagem de nossa cachaça e construir uma categoria que tende a ser uma das maiores detre todos os destilados.

Como supostamente disse Sobral Pinto: “Quando o Brasil tomar juízo e se tornar uma potência mundial, será a cachaça, e não o uísque, a bebida nobre do planeta”.

Saúde!


Por falar em educação, nos dias 20 e 21/2, estaremos oferecendo (eu, Isadora Bello Fornari e Leandro Batista) uma aula + harmonização de pratos + coquetelaria em São Paulo. Serão, nos restaurantes Rota do Acarajé (dia 20) e Engenho Mocotó (dia 21). Teremos a oportunidade de falar um pouco sobre esse maravilhoso universo da cachaça e provar os pratos especialmente preparados por Luisa Saliba e equipe no Rota do Acarajé e por Rodrigo Oliveira no Mocotó, e encerrar com drinques sensacionais preparados pelo Leandro Batista. Imperdível.

SERVIÇO

Dia 20/2, no Rota do Acarajé, às 18h30
R. Martim Francisco, 529, Santa Cecilia
Tel.: (11) 3668-6222

OU

Dia 21/2, no Mocotó Bar e Restaurante, às 18h30
Av. Nossa Sra do Loreto, 1.100, Vila Medeiros
(11) 2951-3056

Inscrições:
somos@rosariorsr.com oy whatsapp (21) 96765-9554
R$ 385 via Paypal ou R$ 350 via depósito bancário
VAGAS LIMITADAS

Tags: