Paladar

O Cachacier

Tudo sobre cachaça, por Mauricio Maia

Por que escolher cachaças bem classificadas em concursos e rankings

Rankings e concursos de bebidas ajudam o mercado orientando consumidores em suas escolhas e auxiliando produtores a aprimorar seu produto. O "choro dos descontes" em nada ajuda, acabando por passar uma imagem ruim de produtores aos aficionados

19 junho 2017 | 17:52 por Mauricio Maia

Nessa última semana, durante a ExpoCachaça realizada em Belo Horizonte, aconteceu o Concurso de Cachaças de Alambique. Diversas cachaças ganharam suas medalhas e outras tantas não ganharam nenhuma, o que gerou certa revolta em alguns dos “preteridos”, uma vez que em sua opinião “sua cachaça é a melhor do país, e certamente a melhor da feira.

Me espanta como hoje, mesmo após mais de dez anos como jurado de rankings e Concursos nacionais e internacionais, grande parte dos produtores de cachaça ainda não conseguem alcançar nem entender a função destas categorias de certames etílicos.

Muitos produtores ficam indignados por sua cachaça não ser contemplada ou ser criticada, e chegam ao extremo da insensatez ao assediar, interpelar e até ameaçar jurados e organizadores. E não alcançam a ideia de que deveriam respirar fundo e tentar entender por que isso ocorreu.

Ficou com água na boca?

 

Posto de jurado no Concurso Mundial de Bruxelas

Meu honrado posto como um dos jurados do Concurso Mundial de Bruxelas Brasil 2017. FOTO: Mauricio Maia/Acervo Pessoal

Em meu entender – essa a minha opinião baseada em dados e experiência de mais de dez anos como jurado de concursos e rankings nacionais e internacionais – uma competição de bebidas, seja um concurso e um ranking, deve cumprir três papéis primordiais: 1) Servir de balizador para que o consumidor neófito possa escolher uma boa cachaça e aprofundar seu conhecimento segundo a opinião de um corpo de jurados experiente; 2) Ajudar sempre o produtor a melhorar, dando um “feedback” sobre o seu produto, onde ele acertou e onde possivelmente possa estar cometendo algum engano; e, 3) Ajudar aos produtores a divulgar o seu produto, seja pela visibilidade que estes eventos proporcionam na imprensa, ou pela oportunidade de usar o prêmio/colocação como um diferencial na promoção de sua marca. Alguns produtores chegam a relatar que a procura pela sua cachaça cresceu em até 30% após conquistarem medalha em concursos ou boas colocações em rankings.

O que não se pode tolerar são atitudes truculentas de produtores descontentes que antes de reclamar precisam procurar entender “o que deu errado”. Vida longa aos profissionais que estudam anos a fio para avaliar criteriosamente as bebidas nestes certames, e vida longa aos rankings. Que venham vários por todo o país! Saúde!

16º Encontro Aberto da Confraria Paulista da Cachaça

Acontece amanhã, dia 20 de junho, no restaurante Baiano de Dois em Pinheiros, o 16º Encontro Aberto da Confraria Paulista da Cachaça, evento aberto a quem se interessar em conhecer um pouco mais sobre o destilado nacional, com palestras, como a de Alexandre Bertin, presidente da confraria e produtor da Cachaça Sapucaia, e a participação do bartender José Ronaldo, do Frank Bar de São Paulo, que falará sobre a elaboração de coquetéis com cachaça. Em suma, imperdível!

SERVIÇO 
16º Encontro Aberto da Confraria Paulista da Cachaça
Quando: 20/6, às 19h
Onde: Restaurante Baiano de Dois, na Praça Benedito Calixto, 189, Pinheiros
Quanto: R$ 40, incluindo água, degustação de até 10 rótulos de cachaças e participação na palestra.
Durante o Encontro haverá o Bazar, com venda de camisetas da Confraria e cachaças lacradas e abertas por até 25% do valor de mercado. Terá também a comercialização de taças ISO por R$ 25

Tags: