Paladar

O Cachacier

Tudo sobre cachaça, por Mauricio Maia

Quando a cachaça encontra o vinho: a etapa brasileira do Mundial de Bruxelas

No Concurso Mundial de Bruxelas, vinhos e destilados são avaliados por um rigoroso júri composto por especialistas renomados nas duas categorias de bebidas. Sua etapa brasileira foi realizada em Bento Gonçalves (RS)

10 abril 2017 | 19:13 por Mauricio Maia

O mais importante concurso de vinhos e destilados do mundo esteve no Brasil na semana passada. De 3 a 7 de abril, foi realizado o 15º Concurso Mundial de Bruxelas Brasil em Bento Gonçalves (RS), do qual tive o prazer de participar como um dos jurados que avaliam as bebidas.

Dada a minha formação, compus uma das bancas avaliadoras de destilados. O que não significa que não tive uma imersão completa no mundo do vinho, universo para mim fascinante e onde procuro sempre inspiração e bons exemplos que possam ser aplicados no mercado da cachaça.

O concurso é uma maratona etílica e cultural, pois como o concurso tem um grande número de jurados estrangeiros, os organizadores montam uma programação intensiva com visitas e degustações fora dos horários de avaliação. Foram quatro vinícolas e três alambiques visitados durante os quatro dias em que estivemos na cidade.

Ficou com água na boca?

 

Concurso Mundial de Bruxelas

Maior e mais conceituada disputa de bebidas do mundo, o Concurso Mundial de Bruxelas teve sua etapa regional no Brasil realizada na última semana. FOTO: Mauricio Maia/Acervo Pessoal

 

A hospitalidade e o carinho são a tônica de todas as visitas. A recepção impecável e a paixão pelo que fazem, tanto nos alambiques quanto nas vinícolas são contagiantes, e muitas vezes chegaram a nos emocionar.

Porém, um dos fatos que me chamou bastante a atenção são os números dos dois mercados (fazendo uma comparação breve) e a organização do mercado do vinho. Coisa que anseio um dia ver no mercado da cachaça. A união é grande, o trabalho das entidades do setor também. Sabe aquela frase “juntos os pequenos se tornam grandes.”? Essa é a tônica do mercado e os produtores de vinho estão unidos entre si e juntos às entidades representativas do setor. Algo ainda um pouco distante para o mercado da cachaça, apesar de iniciativas bem sucedidas como o trabalho do Ibrac (Instituto Brasileiro da Cachaça) e de associações locais, como a Aprodecana (Associação dos Produtores de Cana-de-açúcar e seus Derivados) do RS, que nitidamente aproveitou bastante das experiências bem sucedidas de seus irmãos da vitivinicultura.

Outro ponto a se destacar é a qualidade da produção nacional. Tanto os vinhos quanto as cachaças apresentaram um elevadíssimo padrão de qualidade, o que impressionou a todos os jurados estrangeiros, e neste momento deu a nós, os jurados “nacionais”, muito orgulho de sermos brasileiros.

Foram inscritas, degustadas e avaliadas 196 amostras de destilados e 184 amostras de vinhos, de todas as regiões do País, o que nos proporcionou um excelente painel do atual estágio da produção nacional de ambas as bebidas. Sendo que deste total tivemos 66 destilados premiados que receberam 29 medalhas de prata, 27 medalhas de ouro e 10 medalhas Grand Ouro (ou Duplo Ouro como também é comum chamar esta distinção). Já entre os vinhos tivemos 20 medalhas de Grand Ouro, 21 medalhas de ouro e 12 medalhas de prata, totalizando 53 vinhos laureados.

Só me resta aplaudir aos produtores, à organização do evento, aos meus colegas jurados e a todos que fizeram e fazem vinhos, cachaças, licores e outras bebidas em nosso país. Saúde!

 

P.S.: Aproveitando o mote das degustações, quem estiver em São Paulo nesta terça-feira, 11, pode aproveitar para provar ótimas cachaças e de quebra assistir uma palestra do especialista Milton Lima, proprietário da Cachaçaria e Chalé Macaúva, de Analândia (SP) – onde se realizam anualmente as reuniões da Cúpula da Cachaça –  sobre como montar uma carta de cachaças bem-sucedida, durante o 15º Encontro da Confraria Paulista da Cachaça, a partir das 19h no Praça São Lourenço na Vila Olímpia.


SERVIÇO 

15º Encontro da Confraria Paulista da Cachaça
Quando: 11/4, às 19h
Onde: Praça São Lourenço – Rua Casa do Ator, 608, Vila Olímpia
Quanto: R$ 40 (com direito à palestra e degustação de diversas cachaças participantes)

Tags: