Paladar

Carnes e vinhos em Buenos Aires

15 abril 2008 | 17:24 por Jamil Chade

Passei alguns dias em Buenos Aires no começo do mês para tentar descansar um pouco. Não sei se consegui descansar, mas sei que comi e bebi muito bem.

Buenos Aires continua linda, gostosa, amigável. Quando cheguei, chovia e o clima estava pesado com o braço de ferro entre o governo, que aumentou barbaramente os impostos e os produtores agrícolas, que protestavam bloqueando os caminhões nas estradas.

Muita apreensão e queixas dos dois lados. Os preços dos produtos agrícolas, quando disponíveis, estavam nas alturas e a carne desapareceu dos açougues, o que para o argentino médio é quase uma tragédia. Felizmente, as boas churrascarias ainda estavam abertas e fui jantar na Cabaña Las Lilas, a melhor que conheço em Buenos Aires. O cardápio estava pouco reduzido, mas deu para comer um ojo de bife (uma parte do contrafilé) memorável.

Ficou com água na boca?

No dia seguinte, veio uma trégua entre as partes, que foi um alívio. Aos poucos, começaram as reportagens na televisão mostrando as prateleiras dos supermercados mais bem fornidas. Cessada a trégua, a coisas devem voltar a pegar. Em tempo: o tempo melhorou até demais. Muito calor e sol.

Três dias depois, voltei ao Cabaña Las Lilas e o maître Matias, velho amigo daqui de São Paulo, me informou que o acordo veio na época certíssima. Se não acontecesse, ele não saberia como abrir em dois ou três dias.

Uma notícia pouco entusiasmante: a carne argentina já não é mais aquela. Já se foi o tempo em que, para comer bem, bastava pedir um bife de chorizo em qualquer lugar Agora, é preciso escolher (e bem) onde comer.

Agora, uma boa notícia: o vinho argentino melhorou muito e os restaurantes, mesmo populares, apresentam cartas de vinhos que proporcionam boa distração.

CARNES

Cabaña Las Lilas
Como já falei, a Cabaña Las Lilas continua ótima, mais do que movimentada. Quem ficar bebericando o bar de entrada poderá ouvir muitas línguas, principalmente o português. Um lugar caro, com carne ótima e carta de vinhos espetacular. Compensa esperar um pouco mais por uma mesa no terraço e jantar vendo o rio e as pessoas que passam pelo deck de madeira. A churrascaria fica em Puerto Madero, uma antiga área portuária recuperada. Junto ao rio, uma calçada de madeira e muitas lojas e restaurantes ocupando os antigos armazéns. Um passeio obrigatório. Na Cabaña Las Lilas comi o melhor bife de chorizo da viagem.

La Brigada
Outra indicação segura, na zona de San Telmo (Calle Estados Unidos, 465, tel. 4361-5557). Fica a uns dois quarteirões da famosa feirinha de antiguidades que já foi melhor, mas continua interessante.
A La Brigada é pequena, com serviço simpático e bons vinhos. Parece que está construindo um grande salão no endereço ao lado. Comi uma costela como se deve. Na Argentina, o “assado de tira” é uma costela cortada fininha, como um bife e feita rapidamente. Na La Brigada, o assado de tira “especial” lembra costelas feitas no Rio Grande do Sul: uma tira espessa, com o osso de uns seis ou sete centímetros de largura. Carne meio rija, meio rosada, mas espetacular. O bife de chorizo também é muito bom. Uma ótima indicação. Pode se passear pela feirinha, tomar uma cerveja (ou um vinho) num dos barzinhos com mesas na calçada e depois almoçar bem no La Brigada.

La Estancia
A La Estancia no “centrão” de Buenos Aires, ainda tem um charme todo especial com os assados à la cruz na vitrine. Grandes costelas, cabritos e leitões assados inteiros. Um “asador criollo” grande e popular. Fica na Calle Lavalle, quase esquina com a grande 9 de Julio. Algumas vezes, a costela vem meio esturricada. Assim, é bom especificar o ponto ao garçom. Cabritos assados excelentes.

Amanhã darei dicas de restaurantes variados em Buenos Aires.