Paladar

Cepa 21 – Vinho do Ronaldo

22 maio 2007 | 11:59 por Jamil Chade

Agora, o jogador de futebol Ronaldo, do Milan, vai poder beber e talvez apreciar o seu próprio vinho, uma vez que ficou oficialmente sócio da Bodega Cepa 21, que produz tintos na região de Ribera del Duero, uma das melhores e mais ilustres da Espanha. O Cepa 21 está sendo importado pela Épice e custa R$ 194,05 (barato para um jogador de sucesso).

A Cepa 21 foi fundada pelos proprietários da muito conceituada vinícola Emilio Moro e, além de Ronaldo, tem outros sócios ilustres na Espanha, como o artista Imanol Árias, o jornalista de televisão Sérgio Sauca e o também jogador de futebol, Garcia Calvo, do Atlético de Madri. Certamente, ótimos relações-públicas.

José Moro, o principal acionista da Emilio Moro, fundou a Cepa 21 em 1998 para fazer vinhos de alta qualidade numa vinícola mais do que moderna, localizada em Castrillo del Duero, perto de Valladolid, que será inaugurada no dia 21 de junho com uma grande festa, com as presenças dos ilustres sócios e outras personalidades. Um grande investimento, de perto de 12 milhões de euros.

Ficou com água na boca?

Por enquanto, o Cepa 21 está sendo elaborado na bodega da Emilio Moro, em Pesquera del Duero.

A julgar pelo exemplar de 2003, o segundo feito pela empresa, um tinto muito caprichado, feito exclusivamente com a uva Tinto Fino, a principal de Ribera del Duero e que vem a ser a mesma Tempranillo de Rioja. Parreiras velhas, anteriores a 1990.

Passou opor estágio de 14 meses em barricas de carvalho francês (85%) e americano. Esse toque da madeira fica evidente no aroma e na boca.

Algo de alcaçuz, de torrefação, de baunilha e bala de café. Primeira impressão na boca muito boa e intensa. Um vinho redondo, gostoso, “doce”, com algo de chocolate na boca. Bastante madeira e concentração de sabor e corpo. Um tinto “Novo Mundo”, potente mesmo. Depois de algum tempo, o álcool começou a tomar conta (14,5% de álcool). Também apareceu no aroma. Álcool “picava” a mucosa do nariz.

Taninos ainda um pouco duros. Deve evoluir com mais tempo na garrafa. Final de boca dominado pelo álcool. (88/100 pontos).