Paladar

Chez Saul – Wolfsgarten

19 maio 2008 | 23:58 por Jamil Chade

Um bistrô familiar com sotaque austríaco e sem clichês alemães

No Wolfsgarten nada dos clichês da cozinha alemã tal qual foi interpretada pelos restaurantes de São Paulo, como chucrute garnie, eisben, kassler e outros.O nome é enganador e remete ao chef-proprietário, o austríaco Markus Wolf que faz uma cozinha bem internacional, variada e muito caprichada.

Markus Wolf é um jovem chef, que nasceu em Lech, uma estação de esqui na Áustria, onde trabalhou em vários restaurantes. Passou por cozinhas em Munique, Viena, Portugal e Espanha, onde conheceu sua mulher, Mônica, que hoje administra a casa e serve as mesas. A história se repete, pois são muitos os restaurantes de São Paulo que surgiram de casamentos de chefs europeus com brasileiras que trabalhavam no exterior.

Ficou com água na boca?

O restaurante impressionou muito bem. Uma casinha geminada com decoração aconchegante, rústica, muito verde, mesas de madeiras, paredes de tijolos aparentes e muitos pequenos vasos dando um toque caseiro.

No dia da visita, apenas Markus e Mônica na casa. Dificilmente dariam conta num dia de maior movimento.

Quase todos os pratos provados estavam muitos bons, a começar pela tartare de atum servida com o couvert. Cardápio variado e conciso, com três entradas, cinco sopas e massas, quatro peixes e cinco carnes, além das sobremesas. Propõe ainda cardápios completos que mudam todos os dias a R$ 60 e menus degustação com seis pratos a R$ 100.

Massas caseiras ótimas. Ravióli recheado com queijo fresco, batatas e molho com pedaços de vagem (R$ 25 como entrada e R$ 31 como prato principal) e tagliatelle caseiro com tomate fresco e camarão (massa e camarões al dente e molho muito gostoso mesmo, R$ R$ 40). Muito bom, o steak tartare servido sobre torradas (R$ 25).

Pratos principais também mais do que atraentes: costeletas de cordeiro com gratinado de batatas (macio, bem rosado, como se espera, R$43); filé de bacalhau com purê de limão e espuma de tinta de lula (bacalhau delicioso, num molho escuro cheio de sabor, R$ 43) e peito de pato grelhado com uvas refogadas, repolho roxo e knödel (também rosado, saboroso, R$ 39). O knödel é feito com uma massa de pão.

Kaisserchmarren, um doce austríaco, uma espécie de fritada com ovos, acúcar e uvas passas completou o almoço (R$ 15).

Onde: R. Lisboa, 284, Pinheiros, 3081-8286 (47 lug).
Quando: 12h/15h30 e 19h30/23h (2ª, só almoço; sáb., 12h/15h30 e 19h/0h; fecha dom).
Quanto: Couv.: 8. Cc: M e V. Manob.: não tem. Estac. em frente.