Paladar

Bebida

Bebida

Concurso premia cervejeiros artesanais com produção em larga escala

Empresa atua como uma aceleradora de startups, auxiliando microcervejeiros com a burocracia e a produção industrial das cervejas

10 maio 2017 | 20:07 por Leonardo Ribeiro

Na dificuldade de encontrar sabores diferentes para as cervejas que bebiam, a publicitária Rebeca Barreto e o designer Cássio Sanches resolveram colocar a mão na massa, ou melhor, no malte, no lúpulo, no fermento, para fazer a própria bebida. Começaram com uma panela de 5 litros e hoje, cinco anos depois, viram sua receita de American Blonde Ale com capim-limão ser produzida em larga escala, como prêmio de um concurso organizado por uma aceleradora (como as de startups) de microcervejarias artesanais. 

“Começou como um hobby, mas fui percebendo que o produto que tinha era bom, que poderia fazer parte do mercado da cerveja artesanal e, por isso, meu marido e eu decidimos investir na nossa cervejaria”, conta Rebeca. Ao novo projeto deram o nome de Tribal. Cássio deixou o emprego como designer no mercado editorial para se dedicar exclusivamente à função de mestre cervejeiro. Rebeca é a sommelière, mas ainda trabalha em uma importadora de insumos para cervejarias. Foi lá que ela conheceu Marcelo Saraiva, sócio da Bier Hub, a aceleradora de microcervejeiros, que provou a receita da Tribal e a levou para a etapa final do concurso. 

Cerveja em família. Cássio é o mestre cervejeiro e Rebeca é a sommelière da marca

Cerveja em família. Cássio é o mestre cervejeiro e Rebeca é a sommelière da marca Foto: Rafael Arbex|Estadão

No evento mensal promovido pela Bier Hub, cinco cervejas caseiras (inscritas no site bierhub.co) são selecionadas, levadas a voto popular e avaliadas por um júri especializado. A vencedora recebe auxílio com a burocracia e tem a primeira produção financiada pela aceleradora. A comercialização é feita por um clube de assinatura da WBeer com a Bier Hub, em que a cada mês cervejas selecionadas são entregues na casa de assinantes. “A cerveja vendida no clube é um termômetro. Se o público gostou e tem um potencial mercadológico, nós podemos fazer um plano de aceleração a longo prazo”, diz Marcelo. 

Ficou com água na boca?

A cerveja de Rebeca e Cássio, batizada de Xamã, é a comercializada no mês de maio (R$ 28 para não assinantes). Na primeira vez que fizeram a receita, tiraram o capim-limão do próprio quintal. Ao colocá-lo na panela, queriam uma cerveja equilibrada. Das propriedades terapêuticas e relaxantes da erva, lembraram do índio Xamã, homem mais equilibrado e guia espiritual da tribo. Daí veio o nome. A cerveja é uma American Blonde Ale com capim-limão, 5,2% de teor alcoólico, tem aromas cítricos intensos, que são pouco expressivos no paladar. É uma cerveja leve e fácil de beber. “É muito caro ter uma cervejaria. Ver a cerveja na fábrica é ver o nosso sonho se tornando realidade”, diz Rebeca.

A próxima edição do festival da Bier Hub é neste sábado, 13, às 13h, no bar Capitão Barley (R. Cotoxó, 516, Vila Pompeia). Neste mês, apenas cervejas do interior de São Paulo foram selecionadas para a votação

Ficou com água na boca?