Paladar

Bebida

Bebida

Cultuada cervejaria americana, Stone Brewing chega ao Brasil

Fundada há 20 anos na Califórnia, a marca se cercou de cuidados e desembarca por aqui em cadeia 100% refrigerada; em São Paulo, é possível encontrar 12 rótulos em chope ou garrafa de estilos variados

25 janeiro 2017 | 18:36 por Carolina Oda

Depois de 2016 ter sido o ano da cerveja nacional no Brasil, 2017 começa com um baita reforço no time das importadas. Acaba de desembarcar por aqui uma das mais cobiçadas e respeitadas cervejarias americanas, a Stone Brewing.

Inaugurada em 1996, em San Diego, na Califórnia, de micro ela virou uma das maiores cervejarias artesanais dos Estados Unidos. Emprega hoje mais de mil pessoas, aparece frequentemente na lista das melhores cervejarias do planeta e tem fábricas em Richmond, na Virgínia, e em Berlim, na Alemanha, sendo a primeira americana a operar uma unidade na Europa. Além disso, carregam excelente reputação quanto à sustentabilidade praticada na fábrica, à ética e à filantropia.

Entre seus fundadores está Greg Koch, celebridade cervejeira que já esteve no Brasil a convite da BodeBrown, quando fizeram juntos a Cacau IPA, um sucesso nacional.

Greg Koch, um dos fundadores da cervejaria americana

Greg Koch, um dos fundadores da cervejaria americana Foto: Gordon Welters|The New York Times

A importadora carioca Buena Beer, conhecida pelo trabalho que faz com as cervejas belgas por aqui, foi quem conseguiu a proeza de trazer a Stone Brewing. Por serem responsáveis pelas importações exclusivas para o festival Mondial de la Bière, no Rio, eles já eram uma referência, mas ainda assim precisaram de longas conversas para trazer a marca. A preocupação da Stone com seu produto é imensa, e a marca só fechou o negócio quando ficou garantido que o cuidado seria o máximo possível. 

“A importação aconteceu toda em cadeia refrigerada, conseguimos liberar a mercadoria no porto em apenas uma semana e realizamos pela primeira vez em nossa empresa uma importação desse porte com 93% da mercadoria já reservada pelos pontos de venda, que foram escolhidos de acordo com o cuidado com que tratam as cervejas. Quase todos os pedidos seguiram com no máximo uma caixa de cada rótulo e para vários Estados diferentes, para que o giro seja o mais rápido possível, garantindo o frescor da cerveja”, contou Helio Jr., sócio da importadora.

Somando essa logística aos impostos e ao câmbio, claro que a cerveja não chegou barata. Em São Paulo, os chopes de 150 ml custam em torno de R$ 20, as long necks ficam em torno de R$ 40 e as garrafas de 650 ml, R$ 140. Porém, depois dos últimos movimentos do mercado, com o sucesso das New England IPA, fica comprovado que existe gente disposta a pagar caro na cerveja contanto que ela seja boa e esteja fresca. 

A importadora também decidiu fazer uma importação constante, porém não contínua. As importações devem chegar a cada 4 ou 6 meses e, provavelmente, devem manter somente os rótulos favoritos, enxugando o portfólio ou trocando as opções, criando expectativa a cada chegada. 

Dentre tantas na linha das IPA e tendo até uma witbier, se for escolher só algumas para provar, priorize as mais complexas, de guarda (como a Barley Wine), as lupuladas (como a Ruination e a IPA) e a Milk Stout, estilo bem raro no Brasil. Entre os 12 rótulos que vieram para o Brasil, conheça sete deles na galeria abaixo:

 

Onde encontrar em São Paulo:

Asterix. Al. Joaquim Eugênio de Lima, 575, Jd. Paulista, 3368-5610

Beer 4 You. Rua Cristóvão de Burgos, 74, Vila Madalena

BrewDog Bar. Rua Coropés, 41, Pinheiros, 3032-4007

Empório Canto da Cerva. R. Carlos Weber, 1.472, 2359-8782 

Carrieri Aclimação. Rua Ximbó, 340, Aclimação, 2528-1010 

Cateto Pinheiros. R. Francisco Leitão, 272, Pinheiros, 3063-5220

Cervejoteca Tatuapé. R. Serra de Bragança, 1.552, Vila Gomes Cardim, 3360-2461

Delirium Café. R. Ferreira de Araújo, 589, Pinheiros, 2495-2225

Empório Alto dos Pinheiros. R. Vupabussu, 305, Pinheiros, 3031-4328

Comentários

Aviso: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Estadão.
É vetada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O Estadão poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os criterios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema proposto.

Você pode digitar 600 caracteres.