Paladar

Bebida

Bebida

Deu zebra na safra nacional

Avaliação Nacional de Vinhos provou os 16 melhores tintos, brancos e espumantes da safra de 2014. O Paladar participou da prova, que reuniu 850 pessoas em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, e apresenta os resultados

08 outubro 2014 | 17:40 por redacaopaladar

Por Guilherme Velloso

Na Avaliação Nacional dos Vinhos, realizada no dia 27, em Bento Gonçalves, na Serra Gaúcha, um tinto de São Roque apareceu entre os melhores do Brasil, para surpresa geral. Todo ano, a Associação Brasileira de Enologia faz a Avaliação Nacional de Vinhos, em que apresenta os melhores da safra escolhidos entre centenas de inscritos. A prova está na 22ª edição e esta é a primeira vez que um vinho paulista está entre os melhores.

Avaliação Nacional de Vinhos. FOTO: Divulgação

Ao todo, 16 vinhos foram avaliados no dia 27. Eles haviam sido previamente selecionados por um júri composto por enólogos que degustaram às cegas e analisaram 290 amostras.

Ficou com água na boca?

A degustação comprovou que a safra 2014 teve problemas, principalmente na Serra Gaúcha. Como o Paladar adiantou em fevereiro, a safra foi prejudicada pelo clima: choveu muito na época de amadurecimento das uvas, o que dá margem ao ataque de podridões e diluição da concentração das uvas. As consequências são menor rendimento, vinhos pouco concentrados, portanto, menos longevos, e qualidade geral prejudicada. Alguns nem serão produzidos, como é o caso do Merlot Terroir, que não será feito nas safras 2013 e 2014.

Não surpreendeu, portanto, que nenhuma das amostras da Serra Gaúcha tenha recebido mais de 90 pontos na seleção. Surpresa mesmo foi a presença de dois vinhos à base de Ancellotta, de cor intensa e taninos rústicos, mais usada em cortes.

Somada a outra surpresa, o sucesso de um Cabernet Franc da vinícola Góes, de São Roque (SP), região que não tem prestígio entre críticos e especialistas, mas foi favorecida pelo clima seco e quente, pode-se dizer que deu zebra na Avaliação Nacional dos Vinhos.

FOTO: Epitacio Pessoa/Estadão

A degustação promovida pela Associação Brasileira de Enologia reuniu 850 pessoas, entre enólogos, sommeliers, especialistas e curiosos, já que a prova é aberta ao público e qualquer pessoa pode se inscrever. Esta edição teve duas celebridades, o locutor esportivo Galvão Bueno, que faz vinhos e é sócio do grupo Miolo, e o ator e diretor Selton Mello, que está fazendo um filme na Serra Gaúcha.

Veja o que esperar da safra de 2014:

Os vinhos que participaram da Avaliação Nacional de Vinhos ainda não estão prontos. Alguns ainda nem foram engarrafados, estão em tanques e barricas

ESPUMANTES

Os vinhos classificados são elaborados por produtores premiados:

Chardonnay (Domno do Brasil)

Chardonnay/Pinot Noir Riesling Itálico (Chandon do Brasil)

Chardonnay/Pinot Noir (Geisse)

BRANCOS

Branco seco não aromático

Surpreendente presença de Riesling Itálico, hoje usada quase só na produção de espumantes. Nas três amostras de Chardonnay faltou expressão da fruta.

Riesling Itálico (Salton)

Chardonnay (Santa Rita)

Chardonnay (Góes & Venturini)

Chardonnay (Nova Aliança)

Branco Fino Seco Aromático

Destacou-se pela intensidade aromática, Na boca é leve e agradável.

Moscato Giallo (Giacomin)

TINTOS

Tinto Seco Jovem

Leve, frutado, com boa acidez.

Cabernet Sauvignon (Giacomin/Vinhos Hortência)

Tinto Seco

Dois Merlots conseguiram certo equilíbrio em uma safra difícil, comprovando a afinidade da uva com a região. Também apareceu um bom Tannat, uva que hoje se expressa melhor na campanha do que na serra. Apesar de muito jovem, mostrou complexidade aromática e taninos de boa textura. Para mim, o melhor da categoria.

Cabernet Franc (Góes)

Merlot (Perini)

Merlot (Casa Valduga)

Cabernet Sauvignon (Coop. Vinícola Aurora)

Ancellotta (Don Guerino)

Ancellotta (Monte Rosário/Vinhos Rotava)

Tannat (Valmarino)

* O repórter viajou a convite do Ibravin 

>>Veja a íntegra da edição do Paladar de 9/10/2014

Ficou com água na boca?