Paladar

Bebida

Bebida

Só de birra

Heloisa Lupinacci

Funky na cerveja é charme, é suor de cavalo, é difícil de definir

Característica complexa de cervejas que passam por refermentação aparece cada vez mais em rótulos do mercado. O difícil mesmo é conseguir explicá-lo

30 agosto 2017 | 20:33 por Heloisa Lupinacci

Funky: quem participa de degustações ou frequenta rodinhas com gente que leva a sério a descrição da cerveja já ouviu essa palavra. Sempre ouço. E sempre que ouço, peço mais detalhes. É um barato, porque cada vez vem uma definição diferente. E funky é mesmo difícil de definir. Eu gosto de pensar em “outros”, sabe? Coisa de prova em formato de teste, que tem algumas alternativas e no final vem a opção: nenhum dos anteriores. Isso é funky. Mas é vago demais.

Funky tem a ver com complexidade, com aquele je-ne-sais-quoi. Se você preferir os termos, digamos, cru, aromas como suor de cavalo, esparadrapo, casca de queijo fungada, estão todos na categoria funky. Adoro essas expressões de sabor, mas prefiro pensar em charme do que no pelo molhado dos equinos pós-trote (é só um jeito mais lúdico. Nada contra suor de cavalo).

É charme, é suor de cavalo, é difícil de definir

É charme, é suor de cavalo, é difícil de definir Foto: Reuters

Em geral, funky é uma característica de cervejas que passam por refermentações. Mas pode estar em saisons fermentadas apenas uma vez. Pode estar em cervejas maturadas em barril, mas nem toda cerveja maturada em barril é funky.

Ficou com água na boca?

Com saber se a cerveja é funky? 1. Se tem a palavra escrita no rótulo – o que tem ocorrido mais e mais –, as chances são grandes. 2.Sem tem adição de brettanomyces, grandes chances também. O pessoal chama essa levedura pelo apelido brett ou bretta (prefiro bretta, me faz pensar numa elegante senhora alsaciana, enquanto brett me remete a um americano azedo).

Então, se você topar com uma brett ipa, já sabe que é uma india pale ale refermentada com brett. Mas o melhor jeito é experimentar, prestar atenção e sair caçando esse charme todo por aí. Abaixo, quatro exemplares: a funky maioral (Orval) e três rótulos brasileiros.

Funky não é sour

Mas uma sour pode ser funky.  Essa é uma confusão supercomum. Como funky tem a ver com refermentação – e as refermentações têm a ver com transformação de álcool em ácido –, é comum a confusão entre sour e funky. Muitas sours são funky. Mas os dois termos não são sinônimos.

 

 

Ficou com água na boca?