Paladar

Bebida

Bebida

O resgate dos cafés

O especialista em cafés Ensei Neto (Foto: JB Neto/AE)

29 julho 2011 | 16:36 por janainafidalgo

Por Daniel Telles Marques

A seleção de cafés feita pelo especialista Ensei Neto para a palestra “Terroirs Tradicionais” na 4ª edição do Paladar – Cozinha do Brasil, que acontece até domingo no Grand Hyatt São Paulo, tinha uma clara intenção: resgatar territórios de produção que perderam espaço nos últimos tempos.

Com jeitão de cafezinho (sem demérito do diminutivo) depois do almoço, a degustação organizada pelo engenheiro químico teve um quê de história e um tanto de percepção. Das planícies da Etiópia até a chegada do café no Brasil, Ensei traçou o caminho do grão na nossa terra e abriu a degustação com cafés vindos de Bom Jardim, da Região Serrana do Rio de Janeiro, pólo produtor do século 19 (na época com 10 mil hectares de produção, e atualmente, com apenas 2 mil).

A evolução de sabor acompanhou as mudanças históricas da produção. O segundo café degustado veio de Botucatu (SP), região que concentrou a mudança do pólo produtor do Rio para São Paulo, na passagem do século 19 para o 20.

Ficou com água na boca?

Raros, os grãos usados para a preparação do segundo café da tarde eram um Mundo Novo Amarelo, café despolpado e levemente ácido, produzido pela quinta geração dos Martins Mariano, na Fazenda Santa Margarida.

Para fechar a experiência, o último café provado veio da histórica Fazenda Califórnia, em Jacarezinho (PR), uma das primeiras no País a associar ciência e alta tecnologia à produção dos frutos.

Além do blog do Paladar, você também pode acompanhar as aulas do Paladar – Cozinha do Brasil pelo Twitter, Facebook e ver fotos no Instagram do Paladar (programa de fotos do iPhone).

Ficou com água na boca?