Paladar

Bebida

Bebida

Paul Hobbs lança sua abordagem francesa da Malbec

Enólogo americano apresenta sua linha de rótulos de vinhos franceses com a uva que lhe rendeu fama na Argentina

13 julho 2016 | 18:45 por Isabelle Moreira Lima

O enólogo Paul Hobbs não esconde o orgulho ao dizer que ele, um americano, foi convidado a ajudar os franceses a fazer um Malbec mais expressivo na terra que é berço da cepa, Cahors, no sudoeste da França. O convite veio graças à experiência e ao domínio do americano sobre a uva adquirida em décadas de trabalho na Argentina.

 

  Foto: Divulgação

Na última terça-feira, Hobbs apresentou, em uma pequena degustação fechada em São Paulo, sua linha de rótulos franceses Crocus, que produz com a uva. São três vinhos em faixas de preço e perfis bastante distintos, que estarão disponíveis em breve na Mistral. É o resultado do projeto que iniciou em 2009 e que gerou declarações polêmicas do enólogo sobre más condições de higiene na região. “Vi moscas invadindo tanques em fermentação”, conta. Superado o trauma, implementou diretrizes para a produção em Cahors, da limpeza à colheita manual – este último, um problema, uma vez que a população local é escassa. “Tudo o que eu faço em Cahors deixa o vinho mais caro, mas melhor. A colheita mecânica é barata, mas prejudicial para o tipo de vinho que quero fazer lá, machuca as uvas e inicia a fermentação cedo”, afirma. Para se ter uma ideia, o vinho de entrada, ou seja, o mais “barato”, custa R$ 192,03. (Os vinhos mais em conta de Hobbs no Brasil são os que produz em Mendoza, em sua Viña Cobos. Estão à venda pela Grand Cru, a partir de R$ 109.)

Hobbs também cogita irrigar um pouco as vinhas velhas de Cahors. Se o fizer, pode perder a AOC, de indicação geográfica. Ele diz não ligar. “Eles têm padrões rígidos feitos em uma época em que se trapaceava. Hoje, não faz mais sentido”, afirma.

Ficou com água na boca?

Globe trotter da enologia, Hobbs produz seus vinhos na Argentina, na Califórnia, na Armênia e agora se prepara para vinificar Riesling do Estado de Nova York, um de seus projetos mais ambiciosos. 

CONHEÇA OS VINHOS 

 

  Foto: Divulgação

CROCUS ATELIER 2012 

Origem: Cahors, França

Preço: R$ 192,03 na Mistral

Vinho de entrada da linha francesa de Hobbs, este rótulo é a esperança do enólogo para recolocar Cahors no mapa dos amantes do vinho. As vinhas, nesse caso, também são antigas, mas a densidade de produção é maior. A madeira é usada para estabilizar, por 18 meses. Floral e frutado, é suculento, com taninos trabalhados e bom corpo.

 

  Foto: Divulgação

CROCUS PRESTIGE 2011 

Origem: Cahors, França

Preço: R$ 326,34 na Mistral

Vinho intermediário da linha francesa, é uma espécie de “corte” dos outros dois. Produzido com uvas de três vinhedos, é maturado por 18 meses em barricas de carvalho francês (50% novas). É encorpado, rico, traz notas de frutas negras e taninos discretos.

 

  Foto: Divulgação

CROCUS GRAND VIN 2011

Origem: Cahors, França

Preço: R$ 725,64 na Mistral

A Malbec deste vinho vem de vinhas de até 40 anos de idade e baixíssimo rendimento. Fermentado em pequenos tanques de aço, esse tinto estagia em barrica francesa nova da grife Taransault por um período de 24 meses. O resultado é um vinho complexo e cremoso. A produção total é pequena, são apenas 300 caixas.

 

 

Ficou com água na boca?