Paladar

Bebida

Bebida

Prepare sua adega para o frio: veja 12 vinhos para o inverno

Por Isabelle Moreira Lima

17 junho 2015 | 22:24 por redacaopaladar

Em três dias, o inverno baterá à porta e, ainda que no Brasil os termômetros não cheguem a insuportáveis temperaturas negativas, é bom estar preparado para os dias mais frios. No caso, com vinhos encorpados, com bom teor alcoólico e estrutura. É que as comidas, geralmente mais fortes e gordurosas que caem bem na estação, pedem vinhos capazes de encará-las. Grandes Cabernet Sauvignon, Shiraz australianos e sul-africanos, Zinfandel, Pinotage, Jumila, Madiran, Amarone e Douro são alguns tintos aquecedores.

E para ajudar você a preparar sua adega para o inverno, o Paladar pediu que seis sommeliers da cidade garimpassem as melhores sugestões em três faixas de preço: até R$60, de R$ 60 a R$80 e de R$80 até R$120.

Luis Motta, do Attimo; Massimo Leoncini, do Fasano; Aurélio Pereira, do Tre Bicchieri; Claudomar Régis, do Ici Bistrô; Rosiel Oliveira, do Pomodori, e Gabriela Monteleone deram dicas e explicaram suas preferências. Gabriela Monteleone conta que sofre com o frio e por isso prefere vinhos “solares” nesta época do ano. “Busco vinhos com uma expressão de fruta mais madura e peso para equilibrar a temperatura”, afirma.

Ficou com água na boca?

Os chamados vinhos gastronômicos, fáceis de se harmonizar também crescem quando a temperatura convida às refeições demoradas. Mas não pense que frio combina só com tintos alcoólicos e encorpados. Alguns brancos fazem bom par com a comida de inverno, como ressalta Aurélio Pereira. “Algumas sopas e peixes ensopados pedem brancos”, afirma.

O serviço de vinhos também precisa ser adaptado ao frio. A primeira dica é manter os brancos dois graus acima do normal. A outra é aerar os brancos encorpados, como Chardonnays com passagem por carvalho, que se beneficiam do processo tanto quanto os tintos mais robustos. E o que é que não se bebe nas noites mais frias? Rosés. E também tintos leves como Beaujolais ou Pinot Noir.

Até R$ 60

Clos de Torribas Crianza 2013

Origem: Penedès, Espanha

Preço: R$ 42,69 no

Pão de Açúcar

Esta combinação de Tempranillo e Cabernet Sauvignon deu origem a um tinto cheio de equilíbrio e fácil de beber. Com bom corpo, faz boa escolta para ensopados, massas, embutidos, jamón e carnes vermelhas acompanhadas de molhos de sabores marcantes. É um dos maiores achados de supermercado e

desta seleção.

Don David Malbec 2012

Origem: Cafayate, Argentina

Preço: R$ 50,27 na Bruck

Este belo Malbec passa por um estágio de 12 meses em barricas de carvalho francês e americano. De cor rubi, é um tinto rico em aroma de frutas vermelhas frescas, especialmente ameixas e morangos. Na boca, os taninos são redondos, fáceis. É encorpado, com notas tostadas. Combina especialmente bem com carnes de sabor intenso. Sugestão? Carré de cordeiro.

Talenti Zirlo IGT 2012

Origem: Toscana, Itália

Preço: R$53 na Grand Cru

Produzido pela vinícola Talenti, na região de Montalcino mas sem Brunello e Sangiovese. É um corte de cepas francesas Cabernet Sauvignon, Merlot e Petit Verdot. O que o torna especial para o frio? O bom corpo e o estilo rústico. Experimente com frios e embutidos. Ótima relação de qualidade e preço.

Emiliana Novas Gran Reserva 2012

Origem: Valle de Colchagua, Chile

Preço: R$56,90 na Vino Mundi

Feito com as cepas Carmenere e Cabernet Sauvignon, tem três características que o tornam indicado para o frio: é encorpado, tem boa estrutura e teor alcoólico elevado (14,5%). Preste atenção no equilíbrio que oferece entre corpo, acidez, teor alcoólico. De quebra, exibe madeira. Bom para acompanhar carnes vermelhas e

Até R$ 80

Borsao Selección Garnacha 2013

Origem: Campo de Borja, Espanha

Preço: R$ 64,90 na World Wine

Este vinho, produzido nas proximidades da cidade de Zaragoza, é feito 100% com a uva Garnacha. Bem frutado, pouco concentrado, com taninos e acidez não muito marcantes, é fácil e agradável de beber. A sugestão é acompanhá-lo de pratos de estrutura leve porém com molhos de sabor marcante, como a massa alla amatriciana ou uma sopa de peixe delicada, feita a base de molho de tomate.

Les Chèvrefeuilles 2013 Domaine de la Remejeanne

Origem: Rhône, França

É um Syrah, cortado com Grenache, Mourvedre, Old Carignane e Marselan, que não passa por armazenamento em madeira. O resultado é que o apelo frutado dos aromas permanece intacto com suas notas originais de frutas escuras como cerejas maduras, chocolate e cânfora. Na boca, mostra-se macio, amplo e com boa acidez. Carnes grelhadas e aves com preparações mais elaboradas como codornas e pato ficam perfeitas com esse vinho.

Justino’s 3 Anos

Origem: Ilha da Madeira, Portugal

Preço: R$ 68 na Casa Flora

É elaborado pelo Justino’s um dos maiores produtores da Ilha da Madeira, e reúne várias castas, entre elas a Tinta da Madeira. Envelhecido por três anos, exibe aromas de frutos secos, caramelo, açúcar queimado e bala toffee. A doçura bem equilibrada conforta o palato. Perfeito para as noites frias. Harmoniza com perfeição com doces como pudim de leite, creme brulée e sobremesas a base de café, como o clássico tiramissú.

Côtes du Rhône Gentilhomme 2013

Origem: Rhône, França

Preço: R$ 80,63* na Vinci

Até R$ 120

Bouza Tannat 2013

Origem: Montevideo, Uruguai

Preço: R$ 87,50 na Decanter

A Tannat, cepa francesa que acabou virando símbolo da vinicultura uruguaia, é a estrela deste tinto elaborado pela Bouza, uma das vinícolas de maior prestígio no país. Este vinho apresenta cor rubi intensa e aromas de frutas vermelhas maduras. O amadurecimento em carvalho deu toques de baunilha, coco, chocolate e café. No paladar, é volumoso e apresenta boa estrutura com um final prolongado. É bastante alcoólico (15,5%). Com tudo isso, parece ter sido elaborado sob medida para acompanhar pratos de carne, especialmente as grelhadas.

Tre Brancaia IGT 2012 Marema

Origem: Toscana, Italia

Preço: R$ 92 na Grand Cru

Esta combinação de Sangiovese, Merlot e Cabernet Sauvignon apresenta um vinho denso, com bastante fruta, ao estilo do Novo Mundo, apesar de ser elaborado na Itália. Esbanja equilíbrio. É um tinto bastante versátil, capaz de combinar com grande variedade de pratos mais substanciosos, sem a menor dificuldade. Vai tão bem com as massas como com as carnes.

Amancaya Malbec-Cabernet Sauvignon 2011

Origem: Mendoza, Argentina

Preço: R$ 94,58 na Mistral

Produzido pela Bodegas Caro, uma união das gigantes Catena Zapata e Chateau Lafite-Rothschild, na Argentina, é um vinho de extrema elegância com aroma complexo e sofisticado. É encorpado e, apesar de ter 15% de álcool, possui ótimo equilíbrio. Porém, o álcool elevado faz com que afaste o frio já no primeiro gole. Tem grande apelo gastronômico, formando boa parceria com massas, carnes e molhos marcantes.

La Vendimia 2012 Palácio Remondo

Origem: Rioja, Espanha

Preço: R$111,32* na Vinci

O que torna este vinho apropriado para os dias frios é a combinação de corpo e teor alcoólico. Em outras palavras: é um tinto estruturado e encorpado, com teor alcoólico elevado. A passagem por madeira equilibra a bebida e confere elegância. Suas características permitem que faça bom par com carnes de sabor marcante, como por exemplo cordeiro, e molhos a base de carne com toque de acidez, como o bolonhesa.

Onde comprar

Pão de Açúcar

Av. Santo Amaro, 5460, Santo Amaro, (11) 5189-9999, outros endereços no www.paodeacucar.com.br

Grand Cru

R. Bela Cintra, 1799, Consolação, (11) 3062-6388

Vino Mundi

R. Min. Jesuíno Cardoso, 451, Itaim Bibi, (11) 2338-8466

Bruck

R. Paula Souza, 216, Sé, (11) 3329-3400

World Wine

R. Padre João Manuel, 1269, Jardins, (11) 3085-3055

De La Croix Vinhos

Al. Lorena, 678, Jardins, (11) 3051-8596

Casa Flora

Rua Santa Rosa, 197, Brás, (11) 2842-5199

Decanter

R. Joaquim Floriano, 838, Itaim Bibi,(11) 3702-2020

Mistral

R. Rocha, 288, Bela Vista, (11) 3372-3400

Vinci

www.vinci.com.br e (11) 3130 4500

>>Veja a íntegra da edição do Paladar de 18/6/2015

Ficou com água na boca?