Paladar

Bebida

Bebida

Sidra, poiré e pétillant natural: borbulhas para sair da mesmice

Por Isabelle Moreira Lima

30 dezembro 2015 | 16:15 por redacaopaladar

Essa lista é para quem está decidido a inventar moda em 2016. São espumantes de baixo teor alcoólico (menos que 10%) com aromas e sabores de frutas brancas – maçã e pera – elaborados por métodos ancestrais de fermentação.

Se o seu negócio é fugir da uva, que tal as sidras feitas à moda da Normandia ou até um poiré, espumante de pera? Esqueça aquelas sidras baratas, adocicadas, o que você verá a seguir é uma seleção de bebidas finas, algumas artesanais e orgânicas. Algumas sidras se aproximam do mundo dos vinhos, outras estão mais alinhadas à revolução cervejeira.

Mas para ousar mesmo, prove um tipo de espumante que está fazendo a cabeça de modernos mundo afora, o pét-nat, como é apelidado o pétillant naturel (espumante natural, em francês), elaborado por um método ancestral de fermentação espontânea, diretamente na garrafa. Último grito do verão que passou no hemisfério norte, caiu no gosto por sua leveza e por não ter a pretensão e o preço de Champagne. No Brasil ainda é difícil de encontrar variedade, principalmente dos menos alcoólicos: achamos três e apenas um deles entrou na nossa meta de álcool menor que 10%. Para aproveitar esses espumantes no seu auge, a dica é gelá-los bem.

Ficou com água na boca?

FOTO: Fernando Sciarra/Estadão

BLANQUETTE CLAIR DE LUNE

Local: Limoux, França

Preço: R$ 82 (750 ml, na De la Croix)

Uma boa apresentação ao mundo do pét-nat , este Blanquette de Limoux 100% Mauzac é feito na região célebre pelo estilo, pela casa Domaine Delmas, que desde 1986 é orgânica. Os aromas são frutados (maçãs verdes). Refrescante, tem boa persistência e 7% de álcool. Deve ser servido com temperatura entre 6°C e 8°C, como aperitivo ou ao fim de uma refeição, como o par de uma torta de maçã.

POIRÉ CHARLOTTE CORDAY

Local: Normandia, França

Preço: R$ 58 (750 ml, na De la Croix)

Produzido pela Cidrerie du pays d’Auge, esse poiré (espumante de pera) não safrado é feito com mais de cem variedades da fruta – mistura doces a ácidas – pelo método champenoise. O resultado é uma bebida com 4% de álcool, leve carbonatação e alta acidez. O nome é uma homenagem à celebre aristocrata da região que apunhalou um dos cabeças da Revolução Francesa, Jean Paul Marat. Vai bem com queijos (cabra e de casca branca), peixes, frutos do mar e carnes brancas. A recomendação do produtor é servir bem fresco, com temperatura entre 6°C e 10°C.

ANTOINETTE CIDRE BOUCHÉ DE CRU

Local: Normandia, França

Preço: R$ 56,72 (750 ml, na Mistral)

Essa sidra da Duché de Longueville, especializada na produção artesanal, onde o gás não é adicionado artificialmente, e sim um produto da fermentação natural da fruta, tem certificação orgânica. Aqui, são usadas 15 variedades de maçã de um pomar de 50 anos de idade localizado próximo a Dieppe. Tem 4% de álcool e é seca, fresca, tem leve efervescência e final delicado. Vai bem com pratos com molhos agridoces e sobremesas.

MAGNERS IRISH PEAR

Local: Clonmel, Irlanda

Preço: R$ 16 (355 ml, na Cerveja Store)

É a versão de pera da tradicional sidra irlandesa Magners, lançada em 1935. Bem leve, com 4,5% de teor alcoólico, é simples, doce e refrescante. Quase como se fosse um refrigerante com um pouco de álcool. Pode tomar com gelo no copo.

ASPALL PERRONELLE’S BLUSH

Local: Suffolk, Inglaterra

Preço: R$ 21,90 (330 ml, na Cerveja Store)

Antigamente, essa sidra levava crème de mûre, um licor de amoras usado na coquetelaria europeia. Para conter o teor alcoólico (4%), a receita foi substituída pelo suco da fruta. O aroma é de frutas vermelhas maduras; na boca, tem acidez marcante.

DOMAINE DUPONT CIDRE BOUCHÉ 2013

Local: Normandia, França

Preço: R$ 40 (375 ml, na Wbeer)

Com 5% de álcool, essa sidra também segue o método tradicional do Pays d’Auge. Sua cor é amarelo alaranjado e é ligeiramente nebulosa. Tem aromas de maçãs assadas e toques de couro e sabor de frutas frescas, caramelo e leve toque cítrico. Não filtrada, tem sedimentos no fundo da garrafa e deve ser bebida, com temperatura de 0ºC a 4ºC. Se você tiver paciência de esperar, pode ficar guardada por até cinco anos. O fabricante diz que ela evolui.

>> Veja a íntegra da edição de 31/12/2015

Ficou com água na boca?