Paladar

Comida

Comida

As agruras (entre aspas) de ser jurado

29 abril 2009 | 17:34 por redacaopaladar

Se houvesse um termômetro para medir inveja, provavelmente as maiores marcas seriam alcançadas em conversas em que fossem citadas três palavras: jurado, concurso e comida. E vai experimentar o que? Ah, acho que 15 pizzas. Piora: será segunda-feira, na sala de eventos do Mercado Municipal. Que horas? Meio-dia. Temperatura nas alturas.

Estamos em uma bateria da etapa São Paulo da III Copa Brasileira de Pizzarias. Na final, em junho, serão colocadas em um mesmo forno massas de pizzaiolos de todas as regiões do País. A bateria durou quase 4 horas com direito a um intervalo de 10 minutos, foram provadas 15 pizzas.

Ficou com água na boca?

São 15 pedaços, o número lateja na sua cabeça. E você se concentra em cada um como se fosse o único, como se estivesse sentado nos fundos de um restaurante esperando horas para comer aquela pizza. O primeiro e o último são saboreados com a mesma disposição, a única diferença é que quando provar o 15º você já estará mais bem alimentado (e levar isso a sério demanda um baita esforço).

Talvez o único que entenda perfeitamente a aflição de um jurado comilão seja o garçom. Lá pela nona pizza, um deles não resiste e pergunta: “Hoje você não janta, né?”. Distribuem o 11º pedaço já meio incrédulos. “Vai correr saindo daqui?”, troça outro.

Então é assim: eu comi uma boa pizza de mussarela com alface e tomate cereja preparada pela casa Mayara. Como posso dizer que foi uma escolha criativa? Mas o que é criatividade, afinal, misturar os ingredientes mais improváveis e desarmônicos só para ser original? E como analisar o pizzaiolo da Fornelli, que trabalhou com destreza, mas deixou a pizza escorregar segundos antes de ir ao forno?

Some a essas inquietudes o evidente esforço de cada participante. Todas as pizzarias são familiares, a maioria surgiu “por acaso, depois de uma conversa de bar”. A primeira da Aclimação, a primeira de Guarulhos. Uma professora que, ao fim das aulas de domingo, servia pizza e resolveu abrir um restaurante porque começou a reunir uma grande quantidade de alunos e tinha firmes suspeitas de que não era por causa das aulas. São receitas da nonna, do amigo e receitas que foram criadas especialmente para o concurso, como a vencedora, a “Especial da Mama” da Presto Pizzas, executada por Marizio do Nascimento.

“Tem muita pizzaria abrindo em São Paulo. Só no ano passado o setor cresceu 22%. Isso é bom, o problema é a qualidade, muita gente não conhece fermentação, distribuição, temperatura correta. Precisa estudar a técnica”, critica o Senhor Pizza, ou Ronaldo Aires, que pelo terceiro ano consecutivo auxilia os pizzaiolos do evento. Mas amolece: “Pizza é aquela coisa, né? Alegria! Atinge todas as classes sociais. No bom sentido, tudo termina em pizza, para todo mundo”.

Em tempo: a “Especial da Mama” leva tomates italianinhos confitados, linguiça artesanal defumada e mussarela.

E, sim, jurado também se diverte.

Lista com vencedores:

1.Presto Pizzas – Pizza Especial da Mama

2.Via Castelli – Pizza Piemonte

3.Mayara Pizzas – Pizza Lattuga

4.Fração Pizzaria – Pizza do Chef

5.Nonno Amadeo Pizzaria – Especial du Nonno

6.Serra Pizza Bar – Verucci

7.Da Vinci Pizzaria – Scultori

8.Pizzaria Tato Marcucci – Abobrinha Italiana

9.Giu Gastronomia – Pizza de Funghi

10.Babbo Giovanni (Vila Clementino) – Pizza Sergio Guerreiro

Ficou com água na boca?